Simule e contrate

G1


Você pode ouvir O Assunto no G1, no GloboPlay, no Spotify, no Castbox, no Google Podcasts, no Apple Podcasts, no Deezer, na Amazon Music, no Hello You ou no sua plataforma de áudio preferida. Assine ou siga O Assunto, para ser avisado sempre que tiver novo episódio. As suspeitas que pairam em torno das negociações de compra da vacina indiana agitaram a semana da CPI – e do governo. A gestão que esnobou a vacina da Pfizer e passou meses criticando a Coronavac acelerou a contratação de 20 milhões de doses da Covaxin, em uma negociação de R$ 1,6 bilhão. Nesta sexta-feira a Comissão espera o servidor do Ministério da Saúde que disse ter alertado o presidente Jair Bolsonaro sobre irregularidades na compra. Neste episódio, Natuza Nery entrevista Thomas Traumann, jornalista e analista político. Ele explica como os depoimentos de Miranda e do irmão dele, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) podem impactar o governo. "A partir de agora estamos falando de dinheiro público", diz. Traumann avalia ainda o impacto das suspeitas e aponta como a "reação desmedida" do governo escancara o medo do Planalto sobre o caso, que "chega no círculo muito perto do presidente". E conclui como o caso pode impactar a popularidade de Bolsonaro em um momento de piora da pandemia. "O inverno chegou para o governo", avalia. O podcast O Assunto é produzido por: Mônica Mariotti, Isabel Seta, Glauco Araújo, Luiz Felipe Silva, Thiago Kaczuroski e Giovanni Reginato. Neste episódio colaboraram também: Gabriel de Campos e Ana Flávia Paula. Apresentação: Renata Lo Prete. Comunicação/Globo O que são podcasts? Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça - e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado.
Veja o que você precisa saber para começar o dia bem informado. Bom dia. A CPI da Covid concentra os esforços nas suspeitas envolvendo a compra da vacina Covaxin e ouve hoje o servidor que diz ter alertado Bolsonaro sobre as irregularidades. O presidente confirma a reunião, mas nega ter sido informado sobre corrupção. E uma troca de e-mails confirma a fatura de compra que o governo diz ser falsa. O escândalo é o tema do podcast O Assunto. E veja também: a chegada da vacina de dose única da Janssen aos estados, a prisão de dois suspeitos de ajudarem Lázaro a fugir e conversamos com Pabllo Vittar sobre ‘Batidão Tropical’. Covaxin e a CPI As suspeitas que pairam em torno das negociações de compra da vacina Covaxin agitam o dia da CPI – e do governo. A gestão que esnobou a vacina da Pfizer e passou meses criticando a Coronavac acelerou a contratação de 20 milhões de doses da vacina indiana, em uma negociação de R$ 1,6 bilhão. Hoje a Comissão ouve Luís Ricardo Mirando, o servidor do Ministério da Saúde que disse ter alertado o presidente Bolsonaro sobre irregularidades na compra. E-mails trocados entre o ministério e a Precisa Medicamentos, empresa que intermediou as negociações com o laboratório indiano, confirmam a fatura de compra da vacina, documento que o governo disse ser falso. E Bolsonaro usou sua live semanal para confirmar a reunião com o deputado Luiz Miranda, irmão do servidor, mas negou ter sido alertado sobre qualquer esquema de corrupção. Entenda as suspeitas de corrupção e como o Planalto se defende Após alerta do MPF sobre contrato, governo defendeu ‘compreensão’ CPI pede proteção da PF a servidor que apontou 'pressões' na compra da Covaxin Compra da Covaxin: 4 pontos sobre a denúncia de irregularidades Avanço da pandemia Com 2.042 vítimas da pandemia na últimas 24 horas, o Brasil se aproxima de 510 mil mortes pela Covid-19. '400 mil vidas poderiam ter sido poupadas', diz epidemiologista na CPI Avaliação do governo Pesquisa Ipec divulgada ontem mostra que a reprovação do governo Bolsonaro saltou de 29% para 50%, enquanto a aprovação caiu de 28% para 23%. Entre fevereiro e junho de 2021, a confiança na forma de governar do presidente também caiu de 38% para 30%. Vacinas da Janssen O primeiro lote de doses da vacina da Janssen chega a todos os estados hoje. A vacina, de aplicação única, será destinada a diferentes públicos. Veja aqui quem terá direito no seu estado. Caso Lázaro A força-tarefa que atua nas buscas pelo assassino confesso Lázaro Barbosa anunciou ontem à noite que prendeu dois suspeitos de ajudarem o criminoso na fuga, que entra hoje no 17º dia. Com eles, os policiais encontraram armas e 50 munições. Suspeição de Moro Gilmar Mendes estendeu a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro para mais dois processos do ex-presidente Lula. Na prática, voltam à estaca zero as ações relacionadas ao sítio em Atibaia e supostas vantagens indevidas envolvendo imóveis em São Paulo, como o Instituto Lula. A decisão ocorre um dia depois de o plenário do STF validar o entendimento da Segunda Turma, que declarou que o então juiz da Lava Jato atuou com parcialidade na condenação do ex-presidente Lula no caso do triplex no Guarujá, o que fez com que o processo fosse o primeiro a ser invalidado. Daniel Silveira preso O deputado Daniel Silveira, do PSL, está novamente preso, no Rio, por ordem do ministro do STF Alexandre de Moraes. Ele violou o uso da tornozeleira eletrônica pelo menos 30 vezes desde que foi para o regime domiciliar. Daniel Silveira responde a processo no conselho de ética pela gravação de uma reunião do PSL e por ataques a ministros do Supremo dentro do inquérito que investiga atos antidemocráticos. Por determinação do STF, Silveira foi preso em flagrante em fevereiro, após fazer vídeo com apologia ao AI-5 e defender a destituição dos ministros do Supremo. Ambas as reivindicações são inconstitucionais. Queda de prédio em Miami Cerca de 100 pessoas estão desaparecidas após o desabamento de um prédio de 12 andares em Miami. A queda deixou pelo menos um morto e dez feridos. Outros 102 moradores, que não estavam no local do incidente, já foram identificados e estão em segurança. ‘Batidão Tropical’ "É como se eu pegasse o Norte e Nordeste, colocasse em um pedestal e mostrasse para o Brasil e para o mundo ver o tanto que é rico, o tanto que é plural". É assim que Pabllo Vittar explica a proposta de "Batidão Tropical", o quarto disco da carreira da cantora que traz nove faixas de forró e tecnobrega. Veja a entrevista em vídeo. Viu isso? Feirão da Caixa: 180 mil imóveis estão disponíveis nesta sexta-feira; veja como participar Emprego: Banco do Brasil abre concurso para 4.480 vagas de escriturários O melhor da turma: menino de 12 anos se forma na escola e na faculdade na mesma semana Morte de casal: apartamento não tinha registro de inspeção de gás Britney no tribunal: as declarações explosivas sobre a tutela do pai África do Sul: autoridades desmentem relato de mulher que disse ter dado à luz 10 bebês Planta virou árvore: Camilla de Lucas é a nova contratada da Globo Porangatu: bebê é atacado por jacaré e perde parte do braço em Goiás
Irmão de Luis Miranda (DEM-DF), Luis Ricardo Miranda, servidor do Ministério da Saúde, disse a 'O Globo' que os dois relataram a Bolsonaro as suspeitas. Irmãos serão ouvidos pela CPI nesta sexta. O presidente Jair Bolsonaro confirmou nesta quinta-feira (24), em transmissão ao vivo em rede social, ter se reunido com o deputado Luis Miranda (DEM-DF), mas acrescentou que o parlamentar não relatou suspeitas de corrupção envolvendo as negociações de importação da Covaxin. A vacina contra a Covid-19 é produzida na Índia, e as negociações para compra do imunizante se tornaram alvos de investigações da CPI da Covid e do Ministério Público. A Covaxin é a vacina mais cara negociada pelo governo até agora. O irmão do deputado Luis Miranda, Luis Ricardo Miranda, é servidor do Ministério da Saúde e disse em entrevista ao jornal "O Globo" que os dois se reuniram com Bolsonaro em março deste ano e relataram as suspeitas de irregularidades sobre as negociações da Covaxin. Horas após a entrevista ter sido publicada, o governo anunciou pedidos de investigação do servidor e do deputado, afirmando que houve "denunciação caluniosa". "Assim como o Luis Miranda esteve aqui, ele podia ligar para mim ou ligar para o ajudante de ordem — se fosse possível, atenderia, mas não atendo mais, não vou atender, obviamente — e perguntar: 'O que está acontecendo?'. E eu responderia para ele. É uma coisa que aconteceu, ele não falou nada de corrupção em andamento. Não tem nada, não tem nada", declarou Bolsonaro nesta quinta. "Passados quatro, cinco meses depois que ele conversou comigo — conversou, sim, não vou negar isso daí — não aconteceu nada. Não entrou no Brasil uma só dose da Covaxin. Não foi gasto um centavo com aquilo", acrescentou o presidente. Também nesta quinta, porém, senadores aliados do Palácio do Planalto que integram a CPI da Covid disseram que Bolsonaro encaminhou as denúncias ao então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Ainda segundo esses senadores, Pazuello determinou uma apuração interna, que não encontrou irregularidades. CPI da Covid Luis Miranda e Luis Ricardo Miranda serão ouvidos pela CPI da Covid nesta sexta (25). O depoimento está marcado para as 14h. Conforme o requerimento aprovado, os depoimentos são "imprescindíveis para o desenrolar da fase instrutória e, obviamente, para o futuro [...] das investigações". Nesta quinta, a CPI enviou um ofício à Polícia Federal no qual pediu proteção proteção para Luis Miranda e Luis Ricardo Miranda. "Reitero à Polícia Federal a necessidade de cumprimento desse pleito, que não só garante a integridade física dos depoentes, mas assegura o bom andamento das investigações conduzidas por esse colegiado", declarou Omar Aziz, presidente da comissão.

São 75 vagas diretas e 75 para cadastro reserva nas regiões de Florianópolis, Joinville e Chapecó. Sede do Banco do Brasil, em Brasília Adriano Machado/Reuters O Banco do Brasil abriu concurso público para a carreira de escriturário com 150 vagas para Santa Catarina. São 75 vagas diretas e 75 para o cadastro reserva. As inscrições devem ser feitas pelo site da Cesgranrio de 24 de junho a 28 de julho e têm valor de R$ 38,00. Em todo país, são 4.480 vagas, sendo 2.240 imediatas e 2.240 para formação de cadastro de reserva. Em Santa Catarina, a divisão de vagas é a seguinte, conforme cidades que ficam nas microrregiões de: Vagas de SC no concurso BB O concurso terá provas objetivas e redação, previstas para o dia 26 de setembro, e seguirá os protocolos de prevenção à Covid-19. Os locais de realização de provas em Santa Catarina serão Florianópolis, Joinville e Chapecó. VEJA O EDITAL NO SITE DA CESGRANRIO Veja locais das vagas e das provas Site para inscrição apresenta instabilidade No vídeo abaixo, saiba como ler editais e aprenda os principais pontos de atenção: Concursos públicos: saiba como ler editais Veja lista de concursos Veja vagas de emprego pelo país A seleção é para o cargo de escriturário, com os nomes de relacionamento de agente comercial e agente de tecnologia. A divisão das vagas é a seguinte: O cargo de escriturário possui nomenclaturas específicas para uso no relacionamento com o mercado, que variam de acordo com a unidade em que o funcionário está lotado. Para este concurso, os candidatos podem concorrer para agente comercial, que trabalha na rede de agências do BB, em todo o país, ou para agente de tecnologia, que assume na área de Tecnologia, em Brasília. Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação. A remuneração inicial é de R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais. O banco oferece ainda ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês e, cumulativamente, concede cesta alimentação no valor mensal de R$ 654,87. Há possibilidade de ascensão e desenvolvimento profissional; participação nos lucros ou resultados; vale-transporte; auxílio-creche; auxílio a filho com deficiência e previdência complementar. Os funcionários do BB possuem ainda acesso à Universidade Corporativa Banco do Brasil (UniBB). Como será a prova As provas objetivas terão questões de Conhecimentos Básicos (25 questões): Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Matemática e Atualidades do Mercado Financeiro; e Conhecimentos Específicos (45 questões), de acordo com a vaga pretendida: Agente de Tecnologia: Probabilidade e Estatística, Conhecimentos Bancários e Tecnologia da Informação. Agente Comercial Matemática Financeira, Conhecimentos Bancários, Negociação e Vendas e Conhecimentos de Informática. Serão ofertadas vagas em dependências situadas em todos os estados e no Distrito Federal. No momento da inscrição, o candidato deverá escolher a UF/Macrorregião/Microrregião e a cidade de realização das provas. Ou seja, ao optar por concorrer à determinada UF/Macrorregião/Microrregião, o candidato estará automaticamente vinculado a ela para fins de realização de provas, de classificação e de contratação. A seleção tem validade de um ano, a contar da data de publicação do edital de homologação dos resultados finais, podendo ser prorrogada, uma única vez, por igual período. Ou seja, é nesse período que o banco pode chamar os candidatos aprovados. No caso das dentro do cadastro de reserva, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Concurso ocorre após banco lançar PDVs O concurso é lançado após o Banco do Brasil anunciar em janeiro a abertura de dois Programas de Demissão Voluntária com a previsão de adesão de cerca de 5 mil funcionários. Em fevereiro, o BB informou que haviam sido validadas 5.533 adesões aos dois programas de desligamentos voluntários anunciados em janeiro. Em julho de 2019, o banco anunciou outro plano de desligamento incentivado. Aderiram ao PDV 2.367 funcionários. t

O "Papo" explica a nova etapa de investigações da CPI da Covid, em meio às suspeitas de corrupção do governo, na compra da vacina Covaxin, traz ainda uma apuração, em primeira mão, sobre o histórico da empresa que representa a fabricante do imunizante e o Ministério da Saúde. Analisa também as consequências da saída de Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente. Você pode ouvir o Papo de Política no G1, no Spotify, no Google Podcasts ou no Apple Podcasts. Assine ou siga o Papo de Política para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar. A CPI da Covid completa dois meses e, na reta final, a comissão quer rastrear o caminho do dinheiro. Parlamentares querem saber se houve favorecimento a empresas e autoridades envolvidas na compra de vacinas e remédios do kit covid. No centro das atenções está o contrato para a compra da Covaxin, vacina fabricada pela farmacêutica indiana Bharat Biotech e a intermediária da negociação a Precisa Medicamentos. O "Papo" traz uma apuração, em primeira mão, sobre o histórico da empresa com o Ministério da Saúde. Natuza Nery, Julia Duailibi e Maju Coutinho analisam também as consequências da saída de Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente. A gestão da política ambiental do país vai sofrer uma guinada ou será mais do mesmo? Em que pé estão as investigações contra o agora ex-ministro? Falam ainda sobre o "casamento" do presidente da República com os presidentes da Câmara e do Senado. E sobre outra aproximação, entre o PSD e Rodrigo Pacheco, com foco nas eleições de 2022. O episódio revela que o senador está, literalmente, na casa de Kassab. Para ouvir essas e outras informações exclusivas, é só ouvir o Papo de Política. Para isso, basta acessar pelo G1, Spotify, Google Podcasts ou pelo Apple Podcasts. Assine agora ou siga o Papo de Política para ser avisado sempre que tiver novo episódio no ar. O QUE SÃO PODCASTS? 🎧 Um podcast é como se fosse um programa de rádio, mas não é: em vez de ter uma hora certa para ir ao ar, pode ser ouvido quando e onde a gente quiser. E em vez de sintonizar numa estação de rádio, a gente acha na internet. De graça. Dá para escutar num site, numa plataforma de música ou num aplicativo só de podcast no celular, para ir ouvindo quando a gente preferir: no trânsito, lavando louça, na praia, na academia... Os podcasts podem ser temáticos, contar uma história única, trazer debates ou simplesmente conversas sobre os mais diversos assuntos. É possível ouvir episódios avulsos ou assinar um podcast – de graça — e, assim, ser avisado sempre que um novo episódio for publicado. Podcast Papo de Política: Maju Coutinho, Natuza Nery, Andréia Sadi e Julia Duailibi Globo

Dupla estava com celular e carteira da vítima. Policiais também encontraram um revólver e uma réplica de arma com eles. Carro foi encontrado abandonado em uma rua do bairro PTB, em Betim. TV Globo/Reprodução Dois homens, de 25 e 31 anos, foram presos pela polícia na noite desta quinta-feira (24) suspeitos de assaltar um motorista de aplicativo no bairro Nova Baden, em Betim. Segundo os militares, os dois cumprem prisão domiciliar por assalto. O motorista de aplicativo contou ao G1 que havia acabado de deixar uma passageira em casa, quando foi rendido pelo assaltante. “Ele bateu na janela, apontou a arma para mim, pediu pra que eu passasse para o banco do passageiro e assumiu a direção. Ele disse pra deixar a carteira e o celular no carro e pouco tempo depois me abandonou. Fugiu com meus objetos e com o carro”. A vítima pediu ajuda a dois homens que estavam na rua e ligou para a polícia. Os militares faziam uma operação de combate à assaltos a motoristas de aplicativo na cidade. Foi aí que começaram a abordar pessoas que tinham as mesmas características do assaltante. O suspeito foi encontrado em outro carro com um comparsa. Eles estavam com o celular e a carteira da vítima. Com eles, a polícia também encontrou um revólver carregado e uma réplica de arma. PM recuperou celulares e dinheiro do motorista. Um revolver e uma réplica de arma foram apreendidos. TV Globo/Reprodução Já o carro do motorista de aplicativo estava estacionado no bairro PTB, perto do local do crime. Os homens foram presos. De acordo com os militares, o assaltante e o comparsa têm uma ficha criminal extensa. Já foram presos diversas vezes por roubo e receptação. Vídeos mais assistidos do G1 Minas:
O governo, que se mobiliza para tentar reduzir o impacto das denúncias, afirmou que a fatura é falsificada. Já a CPI apresentou novos documentos e se prepara para ouvir o servidor que disse ter alertado Bolsonaro sobre irregularidades no contrato. E-mails recebidos pelo Ministério da Saúde indicam que é autêntica fatura de compra da vacina Covaxin As suspeitas de irregularidades no contrato do Ministério da Saúde para comprar a vacina indiana Covaxin dominaram o cenário político. De um lado, o governo federal se mobiliza para tentar reduzir o impacto das denúncias. De outro, a CPI da Covid apresenta novos documentos e se prepara para ouvir o servidor que disse ter alertado o presidente Bolsonaro. Pouco depois das 8h, os três senadores governistas da CPI da Covid, Marcos Rogério, do Democratas, Jorginho Mello, do PL, e Ciro Nogueira, do Progressistas, já estavam no Palácio do Planalto. O governo queria unificar o discurso sobre a compra da Covaxin. Eles se reuniram com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, que na quarta-feira (23) assumiu a linha de frente da defesa do governo em um longo pronunciamento à imprensa. Os senadores saíram do Planalto com uma informação que na quarta-feira não tinha sido apresentada por Lorenzoni: a de que o presidente Bolsonaro, depois de ser informado sobre irregularidades no contrato pelo servidor Luís Ricardo Miranda, repassou a denúncia para Eduardo Pazuello. “O presidente da República determinou quando soube, entre diversos assuntos, que se esse deputado foi tratar, falou alguma coisa... O presidente falou com o ministro Pazuello para verificar. Como não tinha nada de errado, a coisa continuou”, disse o senador Jorginho Mello. Na quarta-feira à noite, Pazuello foi chamado para uma conversa com Bolsonaro no Palácio do Planalto. Nesta quinta-feira (24), os senadores governistas não deram detalhes da suposta apuração pedida por Bolsonaro a Pazuello, que, cinco dias antes da conversa de Luís Miranda com Bolsonaro, já estava de saída do ministério. No dia 15 de março, o presidente anunciou que Marcelo Queiroga seria o novo ministro da Saúde. Pazuello ainda ficou no ministério organizando a transição para a posse de Queiroga até o dia 23, quando foi oficialmente exonerado do cargo, ou seja, foram só dois dias entre o encontro de Bolsonaro com Luís Miranda, num sábado, e a saída de Pazuello do ministério, na terça, quando não poderia mais solicitar informações e coordenar investigações na pasta porque não tinha mais poder para isso. O negócio do governo com a Covaxin, de R$ 1,6 bilhão, envolve uma empresa intermediária, a Precisa Medicamentos, que representa no Brasil a fabricante indiana Bharat Biotech. O Ministério Público Federal em Brasília já apontou inconsistências no contrato de compra e distribuição das vacinas. O contrato foi assinado em fevereiro. Em março deste ano, Luís Ricardo Miranda, chefe de Logística de Insumos Estratégicos para Saúde do Ministério da Saúde, prestou depoimento à procuradora Luciana Loureiro e disse que vinha recebendo pressão da área superior. Na quarta-feira, ao jornal O Globo, Luís Ricardo disse que alertou o presidente Jair Bolsonaro sobre as irregularidades. Ele afirmou ter levado ao presidente Jair Bolsonaro "um material que comprovaria que, em um documento recebido por ele, houve um pedido de pagamento fora do contrato para importar três lotes com data próxima do vencimento". O servidor disse ainda que "caso esse recibo tivesse sido assinado, a empresa poderia cobrar um pagamento adiantado, o que a área técnica considerava indevido, no valor de US$ 45 milhões, equivalente a R$ 222,6 milhões". O servidor Luís Ricardo apresentou o recibo da empresa Madison Biotech prevendo um pagamento antecipado pela importação da Covaxin. O servidor disse que se recusou a assinar o recibo. Segundo o formulário, estava prevista a entrega de 300 mil unidades de vacina - número menor que os 4 milhões previstos no primeiro embarque do contrato. Na quarta-feira, em um pronunciamento no Palácio do Planalto, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, negou todas as suspeitas de irregularidade na contratação das vacinas da Covaxin. Ele estava acompanhado do ex-secretário executivo do Ministério da Saúde Élcio Franco, que atualmente é assessor especial da Casa Civil. Os dois contestaram o recibo apresentado pelo servidor Luís Ricardo. Segundo Onyx Lorenzoni, o recibo apresentado pelo servidor foi fraudado e adulterado. O ministro mostrou dois outros recibos, que, na versão dele, seriam os únicos verdadeiros e comprovariam que, em vez de 300 mil unidades, a remessa inicial seria de 3 milhões de doses. “O senhor Luís Miranda e seu irmão foram até o presidente de posse, a gente acredita, porque ele mostrou hoje, de algo como esse documento, para dizer que havia superfaturamento, favorecimento e outras coisas. Pois muito bem. Esse documento tem seu texto em inglês. Depois, apresenta número 300 com uma vírgula. Depois, ele apresenta nenhuma referência à apresentação do produto, a Covaxin, que vamos apresentar no original. No dia 19, é enviado este documento, o que o senhor Luís Ricardo teve acesso. O documento apresentado hoje é esse. É evidente que vamos pedir para que peritos da Polícia Federal façam análise dos dois documentos. Como vocês podem ver, fotografem e ampliem. Doutor Élcio vai explicar. São evidentes as diferenças”, afirmou Lorenzoni. “Este é o documento original, que necessitou uma retificação porque, diferente do contrato com o governo brasileiro, ele previa o pagamento antecipado. O nosso contrato não previa pagamento antecipado, somente após aprovação da Anvisa e entrega do produto. Então, ele foi recebido pelo Ministério da Saúde em 18 de março. E ele previa o pagamento antecipado, mas já previa 3 milhões de doses, diferente do que andou circulando pelos veículos de mídia como fake news. Nós temos a retificação desse documento, que foi recebida pelo ministério no dia 23 de março, também prevendo 3 milhões de doses, mas aí prevendo pagamento conforme o previsto em contrato”, disse Élcio. Na quarta-feira, no fim do dia, a própria empresa Precisa desmentiu as afirmações de Onyx Lorenzoni e de Élcio Franco. A empresa informou ao jornal O Globo que enviou três versões do recibo durante a negociação com o ministério. Uma primeira em que constavam as 300 mil unidades e pagamento antecipado de US$ 45 milhões. Uma segunda versão com 3 milhões de unidades e pagamento antecipado, e uma terceira, com 3 milhões de unidades e sem pedir pagamento antecipado. O documento apresentado pelo servidor Luís Ricardo Miranda então não seria uma fraude. Além do desmentido da Bharat Biotech, uma troca de e-mail do Ministério da Saúde com a farmacêutica também confirma a autenticidade do documento que Lorenzoni disse que foi fraudado. A TV Globo teve acesso a esse recibo que está no sistema do ministério e é datada do dia 19 de março. É a primeira versão da negociação. Depois, foram elaboradas outras versões, as que o ministro Onyx Lorenzoni e o ex-secretário do Ministério da Saúde Élcio Franco apresentaram na quarta-feira à imprensa como verdadeiras. Ainda no pronunciamento de quarta, Onyx acusou os irmãos Luís Ricardo Miranda e Luís Miranda, que é deputado federal pelo Democratas, de calúnia e má-fé. E disse que o presidente Jair Bolsonaro determinou que a Polícia Federal investigue as atividades dos dois e que pedirá à PGR e à CGU para também abrirem investigação sobre os denunciantes, e não sobre as possíveis irregularidades na negociação. “O governo tomará medidas, a começar: o senhor presidente da República determinou ao ministro-chefe da Casa Civil que a Polícia Federal abra uma investigação sobre as declarações do deputado Luís Miranda, sobre as atividades do seu irmão, servidor público do Ministério da Saúde, e sobre todas estas circunstâncias expostas no dia de hoje. Iremos solicitar um procedimento administrativo disciplinar junto à CGU para investigar a conduta do servidor”, afirmou Onyx. Na quarta-feira mesmo, a atitude do governo foi duramente criticada por senadores, que consideraram que houve uma clara tentativa de interferência e coação. Nesta quinta-feira, os senadores abriram a sessão falando sobre as medidas que vão ser tomadas. A cúpula da CPI reafirmou as críticas ao comportamento do ministro Onyx Lorenzoni e confirmou que vai convocá-lo para depor. “Gostaria de expressar a minha mais completa repugnância pela bravata do secretário-geral da Presidência da República, um estafeta crítico, senhor presidente, que fez uma despudorada coação de duas testemunhas e, consequentemente, desta Comissão Parlamentar de Inquérito. Além de uma intromissão indevida em uma investigação de um outro poder, ele comete um crime, porque é um caso clássico de coação de testemunha e de dificuldade ao avanço da investigação. Se esse senhor continuar a reincidir, nós não temos outra coisa a fazer, senão requisitar a prisão dele”, afirmou o senador Renan Calheiros. A CPI pediu proteção policial para Luís Ricardo Miranda e o deputado Luís Miranda, que depõem nesta sexta-feira (25). Questionado sobre o contrato, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, insistiu na resposta que vem dando desde o início da semana, quando as denúncias vieram ao público: “Não foi pago um centavo e nem vai ser. Essa questão está no jurídico do Ministério da Saúde.” O ministro desconsidera que, três dias depois da assinatura do contrato, em fevereiro deste ano, o governo empenhou R$ 1,6 bilhão para a compra, ou seja, reservou esse valor, que não pode ser gasto com outra vacina nem com outro medicamento.
Rizieq Shihab foi condenado a quatro anos por ‘anunciar informações falsas e causar problemas entre o povo de propósito’, ao postar vídeo se dizendo saudável, apesar de ter Covid-19. Ele já tinha sido condenado por violar restrições a eventos em massa, inclusive com casamento de sua filha, que reuniu milhares. VÍDEO: Prisão de clérigo por boatos sobre Covid gera confrontos na Indonésia Apoiadores do clérigo islâmico linha-dura, Rizieq Shihab, na Indonésia, entraram em confronto com a polícia perto de um tribunal distrital, na quinta-feira (24), onde ele foi condenado a quatro anos de prisão por criar agitação pública ao espalhar informações falsas sobre seu estado de saúde. A polícia disparou gás lacrimogêneo para dispersar centenas de apoiadores de Rizieq, que atiraram pedras e garrafas de plástico, antes do anúncio do veredicto em um tribunal no leste de Jacarta. Os promotores haviam pedido uma sentença de seis anos por causa de um vídeo postado no canal do YouTube do hospital onde o clérigo estava sendo tratado para o coronavírus. Rizieq alegou que era saudável, apesar do teste positivo para Covid-19. Cidade da Indonésia distribui galinhas para quem se vacinar contra a Covid Em uma transmissão do julgamento, o juiz Khadwanto disse ao tribunal que Rizieq era culpado de “anunciar informações falsas e causar problemas entre o povo de propósito”. Pouco depois de sua sentença, Rizieq se dirigiu ao tribunal e disse que rejeitava a decisão e a contestaria. O veredicto veio depois que Rizieq, o líder espiritual da proscrita Frente dos Defensores Islâmicos (FPI), foi condenado a oito meses de prisão no mês passado por violar as restrições ao coronavírus da Indonésia em vários eventos em massa, incluindo o casamento de sua filha, que contou com a presença de milhares.

Para os trabalhadores fora do Bolsa Família, ajuda será creditada em conta poupança social digital da Caixa. A Caixa Econômica Federal (Caixa) paga nesta sexta-feira (25) a terceira parcela do Auxílio Emergencial para os trabalhadores nascidos em julho, inscritos no programa por meio do site e do aplicativo, além daqueles que fazem parte do Cadastro Único, mas estão fora do Bolsa Família. Também nesta sexta, recebem a terceira parcela os beneficiários do Bolsa Família com NIS encerrado em 7. Terei direito? Quanto vou receber? Veja perguntas e respostas Veja o calendário completo Veja como saber se você vai receber Saiba como contestar se você teve o beneficio negado Beneficiário precisa estar com o CPF regular; saiba como fazer SAIBA TUDO SOBRE O AUXÍLIO EMERGENCIAL Para os trabalhadores fora do Bolsa Família, ajuda será creditada em conta poupança social digital da Caixa, que poderá ser usada inicialmente para pagamento de contas e compras por meio do cartão virtual. Saques e transferências para quem receber o crédito nesta sexta serão liberados no dia 12 de julho. (veja nos calendários mais abaixo). Para os beneficiários do Bolsa Família, os pagamentos são feitos da mesma forma que o Bolsa. Auxílio emergencial 2021: entenda as regras da nova rodada VEJA QUEM RECEBE NESTA SEXTA trabalhadores que não fazem parte do Bolsa Família, nascidos em julho beneficiários do Bolsa Família com NIS final 7 Os trabalhadores podem consultar a situação do benefício pelo aplicativo do auxílio emergencial, pelo site auxilio.caixa.gov.br ou pelo https://consultaauxilio.cidadania.gov.br/ Calendários de pagamento Veja abaixo os calendários de pagamento. BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA Segundo o Ministério da Cidadania, 9,77 milhões de famílias receberão a terceira parcela do Auxílio Emergencial 2021. Auxílio Emergencial 2021 Bolsa Família Economia G1 BENEFICIÁRIOS FORA DO BOLSA FAMÍLIA Auxílio Emergencial calendário completo 15.06.21 Economia G1 VÍDEOS: as últimas notícias sobre o Auxílio Emergencial

A mudança foi necessária por conta da reforma do hospital. O novo ponto de atendimento funciona atualmente como Centro de Especialidades Vilhense (CEV). Centro de Especialidades Vilhense (CEV) em RO Prefeitura de Vilhena/Divulgação Os pacientes atendidos pelo pronto-socorro do Hospital Regional de Vilhena (RO), no sul do estado, deverão se deslocar para um novo endereço em razão da reforma realizada na unidade que deve começar nos próximos dias. O novo ponto será o prédio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), localizado na avenida Juracy Correa Muller (Rua 632) com a avenida Vereador Nadir Ereno Graebin. O espaço atualmente funciona como Centro de Especialidades Vilhense (CEV). De acordo com a Prefeitura de Vilhena, há um planejamento para que em breve a UPA também funcione em plantão de 24 horas. Por isso foram realizados serviços de reparos, como troca de vidros e pinturas. Atualmente a cidade possui apenas duas unidades de saúde que funcionam em horário estendido: o posto de Saúde Cristo Rei e o CEV. Segundo o coordenador da Atenção Básica de Vilhena, José Aparecido, como o CEV será usado como pronto-atendimento, o postinho Leonardo deve começar a atender os pacientes até às 22h. O Município ainda informa que o local é mais amplo e moderno e faltam apenas os últimos ajustes para que a mudança seja realizada. O prédio também é utilizado para armazenar os medicamentos e insumos da farmácia municipal. VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia

Buscas continuam, e, portanto, ainda não há números exatos de mortos ou feridos pelo desmoronamento. Causas do incidente também continuam desconhecidas. Vista aérea do prédio de 12 andares em Miami Beach que desabou nesta quinta-feira (24) Amy Beth Bennett /South Florida Sun-Sentinel via AP As operações de busca nos escombros do prédio que desabou na região de Miami, nos Estados Unidos, continuará nesta sexta-feira (25). O governador da Flórida, Ron DeSantis, declarou estado de emergência, o que significa que o estado terá acesso a recursos federais para o resgate. VÍDEO: Prédio desmorona parcialmente em Miami Beach Veja também: VÍDEO mostra resgate de jovem em escombros de prédio em Miami Imagens do momento em que parte do prédio desaba FOTOS: O prédio antes e depois do desabamento Veja abaixo o que se sabe e o que falta saber sobre o desabamento na região de Miami O que já se sabe O prédio Fachada do edifício que desabou em Miami Beach, nos EUA, em foto do Google Street View antes do acidente Google Street View O edifício de 12 andares faz parte do complexo Champlain Towers, em Surfside — uma das pequenas cidades ao redor de Miami bastante procuradas pela proximidade com o mar. O bloco que caiu ficava de frente para o Oceano. De acordo com o jornal "Miami Herald", o edifício foi construído em 1981, e o complexo foi concluído em 1991. A unidade que caiu, a Torre Sul, era justamente a que tinha mais apartamentos: eram 136. O desabamento Prédio que desmoronou parcialmente na área de Surfside, em Miami, na Flórida, nos Estados Unidos, em 24 de junho de 2021 Wilfredo Lee/AP O desmoronamento aconteceu por volta de 1h30 de quinta (24) (horário local, 2h30 em Brasília). Segundo testemunhas, a maioria dos moradores dormia. Imagens captadas por câmeras nas redondezas mostraram que o prédio desmoronou rapidamente. Primeiro, um pedaço da construção caiu, arrastando outra parte para baixo. Uma grande coluna de fumaça pode ser vista à distância. Assista ao VÍDEO abaixo Vídeo: Veja o momento exato do desmoronamento em Miami O resgate Logo após o desabamento, 37 pessoas foram resgatadas da estrutura. Somente duas estavam debaixo dos destroços, nesse primeiro momento. Segundo as autoridades, 10 pessoas ficaram feridas — 4 delas precisaram de atendimento em hospital. Uma pessoa morreu. No entanto, as equipes de socorro registraram ao menos 99 pessoas que não puderam ser localizadas. Por isso, equipes de 10 a 12 socorristas cada vasculharam os escombros com a ajuda de cães e equipamentos. Os desaparecidos Andrés Galfrascoli, cirurgião argentino desaparecido após desabamento na região de Miami, em foto de 2018 Reprodução/Instagram Segundo a agência Associated Press, citando fontes dos governos dos países, estão desaparecidos 22 cidadãos de países da América do Sul — nove da Argentina, seis do Paraguai, quatro da Venezuela e três do Uruguai. Entre os desaparecidos da Argentina, está a família de um conhecido cirurgião plástico, Andrés Galfrascoli. Amigos disseram ao jornal "Clarín" que ele estava com o marido e uma filha de 6 anos. Também está desaparecida Sophia López Moreira, cunhada do presidente do Paraguai, Mario Abdo. Ela é irmã da primeira-dama paraguaia, Silvana López Moreira. Além de Sophia, o marido dela, Luis Pettengill, e outras quatro pessoas estão desaparecidas — inclusive os três filhos do casal, menores de idade. Por causa do incidente, o presidente Mario Abdo cancelou a agenda que tinha nesta quarta, informou o jornal "ABC Color". O que falta saber Por que o prédio caiu? Vista aérea do prédio de 12 andares em Miami Beach que desabou nesta quinta-feira (24) Amy Beth Bennett /South Florida Sun-Sentinel via AP Ainda não há pistas do que pode ter feito o edifício cair. O governador da Flórida, Ron DeSantis, disse que engenheiros e outros especialistas estão procurando qualquer indício que aponte para uma causa do desabamento. "Vocês não terão essas respostas imediatamente", disse DeSantis, segundo a imprensa local. Segundo o jornal "Miami Herald", o edifício tinha acabado de completar 40 anos — marco que exige uma inspeção, pelas leis da região de Miami. Ainda não se sabe se o condomínio passou por esse procedimento ou se estava em fase de reparos. As autoridades locais disseram que divulgarão novas informações sobre os documentos do prédio "o mais breve possível". VÍDEO: Menino é resgatado de escombros de prédio em Miami Beach Número exato de feridos e mortos Dada a quantidade alta de desaparecidos, que pode ser maior, autoridades da Flórida temem que o desabamento tenha deixado um número grande de mortos. Por enquanto, as buscas se concentram em encontrar sobreviventes que possam estar presos sob os escombros. Também não está fechado o número de desaparecidos: a polícia de Miami-Dade — nome dado ao que seria equivalente à região metropolitana de Miami — contou 99 no total, mas admitiu que esse dado pode não estar muito preciso. Brasileiros entre os desaparecidos O Ministério das Relações Exteriores não confirmou se há brasileiros desaparecidos ou, havendo, quantos são. O G1 entrou em contato com o Itamaraty e com o consulado em Miami para obter mais informações, mas não obteve resposta até a última atualização deste texto. Duração dos trabalhos de resgate Socorristas vasculham escombros de prédio que caiu em Surfside, na região de Miami, nesta quinta-feira (24) Lynne Sladky/AP Photo Considerando o tamanho do prédio e o número de pessoas desaparecidas, o prefeito de Surfside, Charles Burkett, afirmou que as buscas vão demorar para acabar. "Vai ser algo que deve durar até a próxima semana."

4º álbum traz ritmos que marcaram infância e adolescência da cantora no Maranhão e Pará com regravações e músicas inéditas. Veja entrevista em VÍDEO. Pabllo Vittar lança ‘Batidão Tropical’, álbum dedicado ao forró e tecnobrega "É como se eu pegasse o Norte e Nordeste, colocasse em um pedestal e mostrasse para o Brasil e o mundo verem o tanto que é rico e plural". É assim que Pabllo Vittar explica seu objetivo com "Batidão Tropical". Lançado na noite desta quinta-feira (24), o quarto disco da cantora de 27 anos resgata músicas e ritmos que fizeram parte de sua infância e adolescência. Das noves faixas de forró e tecnobrega, "Ama Sofre Chora", "Triste com T" e "A Lua" são inéditas e as outras seis são regravações das bandas Companhia do Calypso, Ravelly e Batidão. "Queria de alguma forma exaltar realmente a minha origem, a minha cultura, o Maranhão, o Pará e todas as adjacências que consomem essa cultura", afirma Pabllo. "Tenho um repertório de tecnobrega que escuto até hoje para malhar, para pensar, para ouvir em uma ligação em vídeo com meus amigos. Foi muito louco pensar que poderia regravar essas canções". TecnoShow, banda Kassikó, Mastruz com Leite, Magníficos, Desejo de Menina, Aviões do Forró são outras bandas que Pabllo tem como referências até hoje. "Espero que meus fãs se sintam mais próximos de mim, porque é a minha vida ali em música". Brega é cringe? Pabllo Vittar em clipe de 'Triste com T' Divulgação Com "Batidão Tropical", muitas pessoas vão ouvir pela primeira vez músicas como "Ânsia" e "Bang Bang", gravadas pela Companhia do Calypso, e "Ultra Som", da banda Ravelly. As músicas, que fizeram sucesso há mais de 10 anos no Norte e Nordeste, provavelmente não estariam nas playlists mais recentes do público de Pabllo, de forma orgânica ou voluntária. Corria sério risco até da parte mais jovem reagir com a expressão "cringe", usada nos últimos dias para descrever algo fora da moda ou ultrapassado, às versões originais, mas, na voz de Pabllo, o resultado é "cool", inovador e moderno. Para a artista nascida no Maranhão e criada no Pará, não existe isso de vergonha, muito pelo contrário. "Agora tudo é cringe, cringe, cringe... Vamos exaltar o que é nosso. Se você pegar uma performance de Mylla Karvalho (ex-vocalista da Companhia do Calypso), de 17 anos atrás, onde ela subia no palco e pulava de bungee jumping e falar que isso é cringe, mas bater palma para Pink no Rock in Rio..." "Você está batendo palma para quem? Vai falar que a Pink é cringe também? ", diz Vittar se referindo mais à performance do que ao estilo musical na comparação. "Quero trazer isso mostrar para essa juventude agora, para essa galera do TikTok o que é a Companhia do Calypso, o que é a banda Cacicó, o que é tecnobrega, sabe?" "Isso faz muito parte de mim, não dá para eu tirar isso e ficar sendo uma artista pop que vai vir lançar batidas pops internacionais que já tocam lá fora e já tocam aqui. Particularmente é bom, mas e aí [cadê ] a novidade?". Pabllo já tinha cantado algumas das músicas do álbum informalmente nas redes sociais e demonstrado sua admiração por Mylla Karvalho, hoje cantora gospel. Inclusive, a expressão "Yuke" que a drag usa desde que explodiu em 2017 é da ex-vocalista da banda de forró, que falava "E o que?" para o público continuar cantando as músicas nos shows. Capa do disco 'Batidão Tropical' de Pabllo Vittar Divulgação/Ernna Cost Novas músicas "Ama Sofre Chora", "Triste com T" e "A Lua" são as músicas autorais e inéditas, mas fazem tanto sentido com o resto do álbum que poderiam estar no repertório das antigas bandas de forró. As duas primeiras foram escritas pelos compositores e produtores da Brabo Music, que trabalham com a cantora desde o começo da carreira. Capa do single 'Ama sofre chora', de Pabllo Vittar Divulgação "Opinei muito pouco, porque foram músicas que quando ouvi eu falei isso daí a banda tal cantaria essa música. Eu vi a Paulinha, da Calcinha Preta, cantando 'Triste com Tesão' quando ouvi". Já em "A Lua", Pabllo e Alice Caymmi se juntam aos compositores, em uma parceria que já tinha acontecido em “Problema Seu”, do álbum "Não Para Não". “É um forró tipo Calcinha Preta, que tem uma pegada com a bateria, tem aquela cadência mais ritmada que não faz você parar nenhum segundo de mexer”, explica. Batidão pelo mundo 2020 tinha tudo para ser um grande ano para Pabllo Vittar no exterior, com shows em festivais importantes como Coachella e no Primavera Sound, mas a pandemia adiou esses planos. "Fiquei muito triste e frustrada, mas não amargurada. Acredito muito em Deus, sabia que tudo isso é uma provação que a gente vai passar para ficar mais forte". Foi justamente por conta do tempo em casa que o 4º disco foi produzido. A ideia de resgatar as origens, no entanto, já existia entre a artista e o produtor Rodrigo Gorky. Ele, inclusive, antecipou ao G1 que o álbum novo seria "extremamente brasileiro". "Sou muito ansiosa, não consigo ficar parada uma semana em casa, sem fazer nada, vendo TV... Eu piro, fico louquíssima", conta Vittar. "A gente sabia que queria fazer essa exaltação da minha região e tudo foi se desamarrando... Entramos em contato com os compositores das bandas para pegar autorização das músicas, eles foram super solícitos, me senti muito honrada". A expectativa, a partir de agora, é colocar o povo para dançar em casa e, depois, nos shows dentro e fora do Brasil. "Vou me tremer inteira quando chegar no Primavera Sound e mandar uma [música da] Companhia do Calypso, da banda Ravelly", diz a cantora que foi confirmada na edição de 2022 do festival em Barcelona e em Porto. "Esse é o impacto cultural, social, performático que eu quero deixar. Quero que as pessoas entendam de quem eu estou falando, de como me formei, do que ouvi para chegar até aqui". Pabllo Vittar em festivais, lojas de brinquedo, no Semana Pop e sempre indo longe demais
Atitude provocou críticas na CPI da Covid. Bolsonaro tira máscara de menino em evento no Rio Grande do Norte A atitude do presidente Bolsonaro, nesta quinta-feira (24), em relação ao uso de máscara por duas crianças provocou reação na CPI. No Rio Grande do Norte, na cidade de Jucurutu, uma menina subiu ao palco, usando máscara. Bolsonaro fez um gesto para que ela baixasse a proteção. A menina atendeu e recebeu a aprovação e um abraço do presidente da República. Mais tarde, em Pau dos Ferros, Bolsonaro, sem máscara e muito próximo de várias pessoas, pegou um menino no colo. O garotinho era dos poucos que usavam máscara, mas o presidente da República a retirou. “É inaceitável, a essa altura, com tudo inclusive que foi repassado aqui sobre o que poderia ter sido evitado e quantas vidas brasileiras poderiam ter sido salvas, o presidente da República atentar contra as medidas sanitárias básicas, elementares, consagradas pela ciência. O uso de máscaras, a utilização do álcool são as mais elementares das medidas tomadas por todo o planeta”, criticou o senador Randolfe Rodrigues. “É totalmente inaceitável o presidente, a cada dia, atentar contra a ordem sanitária num acinte, não a esta Comissão Parlamentar de Inquérito, mas num acinte aos brasileiros”, continuou.

Relatório do Deral aponta que o estado deve produzir 38 milhões de toneladas na safra 2020/2021; quantidade é 8% menor do que a produção no ano anterior, em uma área 3% maior. Estiagem reduz estimativa da safra de grãos mesmo com área de plantio maior no Paraná Jaelson Lucas/AEN A estimativa de produção da safra de grãos 2020/2021 no Paraná é de 38 milhões de toneladas, de acordo com relatório do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Deral). O levantamento, divulgado na quinta-feira (24), indica que a projeção é 8% menor do que a produção na safra anterior, mesmo com área de plantio 3% maior - que chega a 10,4 milhões de hectares. Conforme o departamento, os números mostram os efeitos da estiagem no Paraná, que causa perdas consideradas significativas na segunda safra de feijão e na produção do milho safrinha. “A redução, no caso do feijão, se deve ao frio, às geadas, e principalmente à falta de chuva quando o grão mais precisava para o seu desenvolvimento”, explica o chefe do Deral, Salatiel Turra. Segundo departamento, o milho safrinha é fundamental para abastecer o mercado de proteínas animais e para o cumprimento dos contratos internacionais. “O Brasil, infelizmente, teve uma perda significativa da produção de milho safrinha, quase comprometendo o abastecimento e exigindo das indústrias mais dinheiro para bancar o custo, mas especialmente viabilizando até a importação de milho para o suprimento interno”, afirma o secretário da Agricultura, Norberto Ortigara. Segundo ele, as perdas na cultura do milho não ocorreram somente no Paraná, mas também em estados como Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. Por outro lado, destaca-se o reajuste positivo da área de trigo no estado, ainda de acordo com o relatório. "Se o clima favorecer, o plantio pode ser um pouco maior do que se imaginava. Isso pode garantir, junto com o Rio Grande do Sul, onde a área também cresce, um suprimento interno um pouco maior, cooperando assim para a redução das importações”, diz o secretário. Feijão e milho O Deral estima a produção de 270,6 mil toneladas de feijão no Paraná, uma quebra de 46% com relação à estimativa inicial, que era de 501 mil toneladas. Nesta semana, a colheita atingiu 97% da área, estimada em 254,3 mil hectares. As maiores concentrações de perdas em volume estão nas regiões de Pato Branco, Ponta Grossa, Francisco Beltrão, Guarapuava, Laranjeiras do Sul e Cascavel. “As perdas são resultado da redução ou ausência das chuvas em praticamente todo o ciclo vegetativo. As baixas temperaturas durante o mês de maio também influenciaram nesse cenário”, diz o engenheiro agrônomo do Deral Carlos Alberto Salvador. Em relação ao milho safrinha, a produção está estimada em 9,8 milhões de toneladas nesta safra, 19% a menos do que o estado colheu no ciclo 2019/2020. Houve quebra de 4,9 milhões de toneladas em relação à produção inicial esperada. A perda percentual é de 33%. Cerca de 1,8 milhão de toneladas dessa quebra, 37% da perda total do Paraná, corresponde à região oeste, que é a principal produtora. “Na região norte, segunda maior área do estado, como as lavouras se desenvolveram um pouco mais tarde, talvez haja possibilidade de recuperação”, explica o analista de milho do Deral, Edmar Gervásio. Vídeos mais assistidos do G1 Paraná Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.

Voz recorrente em trilhas de novelas da TV Globo no inicio da década de 1970, artista deixa gravação marcante de música de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle. Djalma Dias na capa do álbum 'Destaque', de 1973 Reprodução ♪ OBITUÁRIO – “Eu às vezes penso em fugir / E quero até desistir / Deixando tudo pra trás / É que eu me encontro perdido / Nas coisas que eu criei / E eu não sei”. Esses versos de Capitão de indústria, música composta por Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle para a trilha sonora da novela Selva de pedra (1972 / 1973), reverberaram em todo o Brasil na voz de Djalma Dias em gravação marcante feita para a trama que mobilizou o país há quase 50 anos. Na certidão de nascimento, Djalma Dias era Moacir Batista Lucas (3 de março de 1938 – 24 de junho de 2021), grande cantor que saiu de cena na manhã de hoje, aos 83 anos, na cidade de São Paulo (SP). A morte do artista foi comunicada pela família em rede social sem ter a causa revelada. Djalma Dias iniciou a carreira na década de 1960, mas viveu o apogeu artístico na primeira metade dos anos 1970. Apadrinhado por João Araújo (1935 – 2013), executivo da indústria fonográfica que comandava na época a gravadora Som Livre, Djalma Dias lançou por essa companhia os dois únicos álbuns da carreira, Destaque (1973) e Não faça drama... Caia no samba! (1974). No álbum Destaque, Djalma Dias teve a primazia de lançar o então desconhecido Djavan como compositor, gravando a música Desgruda no LP editado em 1973. No álbum de 1974, o cantor gravou, em ritmo de samba-rock, composição da então debutante Leci Brandão, Nada sei de preconceito. Capa do álbum 'Não faça drama... Caia no samba!', lançado por Djalma Dias em 1974 Divulgação Com voz grave que caía com facilidade no suingue, Djalma Dias iniciou carreira como cantor e músico da noite da cidade de São Paulo (SP), cumprindo expediente em casas como O Beco. De 1972 a 1974, Djalma foi nome recorrentes nos créditos dos discos editados pela Som Livre com trilhas de novelas da TV Globo. Para a trilha de Uma rosa com amor (1972), o cantor gravou Burguês fino trato, parceria de João Donato com os irmãos Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle. No disco da novela O bofe (1972), Djalma deu voz à música de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, Quem mandou. Para a trilha de Cavalo de aço (1973), o cantor gravou Homem de verdade, parceria de Guto Graça Mello com Nelson Motta. No disco da novela O semideus (1973), o intérprete defendeu A volta, uma dos temas da trilha sonora assinada por Baden Powell (1937 – 2000) com Paulo César Pinheiro. Em Os ossos do barão, o cantor cantou Meu velho pai, música de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, compositores recorrentes na discografia de Djalma Dias. No disco com músicas da novela Supermanoela (1974), o cantor se juntou a Antonio Carlos & Jocáfi – autores da trilha – na gravação de Toró de lágrimas. Embora fosse reconhecidamente um grande cantor, Djalma Dias viu a carreira perder impulso a partir da segunda metade da década de 1970. Desiludido com o mercado, o cantor foi aos poucos desistindo e deixando tudo pra trás, mas a voz de Djalma Dias permanece imortalizada na memória de quem ouviu as trilhas sonoras das novelas exibidas pela TV Globo entre 1972 e 1974.

Lages, Chapecó e Criciúma vacinam pessoas com 45 anos ou mais. Maiores cidades de SC aplicam duas doses nesta sexta-feira, 25 de junho. Vacinação em Tubarão é uma das mais adiantadas por faixa etária em SC Marcelo Becker/Prefeitura de Tubarão Com a chegada de mais doses de vacina contra a Covid-19 a Santa Catarina nesta quinta-feira (24), muitas cidades ampliaram as idades para vacinação de pessoas sem comorbidade e aplicarão as duas doses do imunizante, para os respectivos grupo, nesta sexta-feira (25). A cidade de Tubarão, no Sul catarinense, está vacinando pessoas com 43 anos ou mais sem comorbidades. Já Lages, na Serra, Chapecó, no Oeste, e Criciúma, no Sul, vacinam pessoas com 45 anos ou mais. As demais cidades também vacinam pessoas sem comorbidade por idades, além de grupo prioritários já anunciados (veja os detalhes mais abaixo). Florianópolis retomou a vacina para todos grupo nesta sexta e em Itajaí, grupos que estavam com imunização suspensa por falta de doses, devem voltar a ser vacinados no sábado (26). De acordo com dados Vacinômetro, do Estado de Santa Catarina, até as 13h19 desta quinta, 3.225.957 doses de vacinas contra a Covid-19 foram aplicadas. Deste total, 2.440.711 pessoas tomara a primeira dose (D1) e 785.246 foram imunizadas com a segunda dose (D2). Santa Catarina tem 1.038.405 de casos confirmados de infecção pelo coronavírus e 16.555 mortes. Florianópolis: veja quem pode ser vacinado hoje e o que fazer SC recebe mais 265 mil doses de vacinas contra a Covid; Janssen chega pela 1ª vez ao estado O objetivo do Governo do Estado é vacinar toda a população catarinense com 18 anos ou mais até o dia 23 de outubro de 2021, seguindo calendário divulgado no início do mês. Veja quem pode se vacinar nas cidades de SC nesta sexta Confira abaixo como fica a imunização nos maiores municípios catarinenses: Tubarão A cidade de pouco mais de 100 mil habitantes imunizou até o início desta semana, último levantamento, 44.278 pessoas com a primeira dose e 15.022 também com a segunda. Na cidade, atualmente podem ser vacinados pessoas com 43 anos sem comorbidades, gestantes, lactantes e demais grupos anunciados, como idosos, pessoas com comorbidades, professores, profissionais de forças de segurança. A vacinação ocorre na Policlínica das 13h às 19h e nos postos de saúde com sala de vacinação, das 13h às 15h. Chapecó Chapecó vacina com a primeira dose pessoas com 45 anos ou mais sem comorbidades. Haverá segunda dose para quem estiver no prazo de aplicação. Criciúma Em Criciúma, a vacinação da primeira dose é para pessoas com 45 anos ou mais sem comorbidades, gestantes, lactantes, puérperas, profissionais da educação, além de membros das forças de segurança e salvamento, pessoas com comorbidades maiores de 18 anos, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, da limpeza urbana, do transporte ferroviário e de cargas. A segunda dose é para quem estiver no prazo de reforço. Lages Lages imuniza pessoas com 45 anos ou mais, grávidas, lactantes e puérperas e todos os demais grupos já elencados anteriormente. A 2° dose para quem está no prazo de reforço. Local de vacinação: no Drive Thru no Parque Conta Dinheiro, das 8h às 17h, e para pedestres no ginásio Jones Minosso das 13h às 17h. Florianópolis Veja quem poderá receber 1ª dose: pessoas com 49 anos ou mais sem comorbidades; profissional ou trabalhador da saúde; professor; trabalhador das Forças de Segurança, Funcionários do Sistema de Privação de Liberdade ou Forças Armadas (Marinha, Exército e Aeronáutica); trabalhadores Aéreos; trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros, do transporte aquaviário, da limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos e caminhoneiros; lactantes, gestantes e puérperas com horário marcado e somente no Sead/UFSC. Veja quem poderá receber 2ª dose: todas as pessoas que receberam a primeira dose há mais de 12 semanas Locais para vacinação das 9h às 16h: Centro de Eventos da UFSC - Ponto Fixo; Estádio Orlando Scarpelli - Ponto Fixo; Antigo Aeroporto - Ponto Fixo; Centro de Eventos Luiz Henrique da Silveira - Ponto Fixo. SEAD/UFSC - Ponto Fixo (este é das 7h30 às 18h30). Documentação: documento com foto e comprovante de residência. A administração municipal orienta para que a população que puder, atualize o cadastro no SUS com antecedência pelo Alô Saúde (0800-333-3233). Há gratuidade no ônibus e dispensa do trabalho para quem for se vacinar. Não foi informado o número de doses que há em estoque na capital. A lista completa de comorbidades, modelo de atestado e comprovações aceitas para as comorbidades estão no site da prefeitura. Itajaí Vacina com a primeira dose pessoas acima dos 50 anos, profissionais da educação, além de gestantes, lactantes e puérperas que tenham agendado. Segunda dose para quem está no prazo de reforço. Local de vacinação: Sala Volante do Centreventos - Horário: 8h às 17h30. Em Itajaí, três grupos com imunização suspensa devem voltar a ser vacinados no sábado (26): motoristas profissionais com carteira de habilitação C, D ou E, que exercem atividade remunerada, trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros e trabalhadores portuários. Os demais grupo são vacinados, desde que tenham agendado. Joinville Joinville imuniza nesta quinta pessoas acima de 48 anos sem comorbidades, também pessoas entre 18 e 59 com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades, além de trabalhadores de educação, limpeza urbana, transporte aquaviário, transporte coletivo e caminhoneiros. Para os locais de vacinação, entre no site da prefeitura. Segunda dose é para quem tem agendamento confirmado. Blumenau Blumenau, no Vale do Itajaí, aplica a primeira dose em pessoas com 48 anos ou mais sem comorbidades, além de gestantes, lactantes e puérperas. A segunda dose segue acontecendo, de acordo com agendamento. A aplicação ocorre na Vila Germânica. Vacinação contra Covid-19 em pessoas com comorbidades é realizada em diferentes cidades de SC Ary Barbosa/Prefeitura de Lages Vacinação contra Covid em SC: veja perguntas e respostas Veja casos e mortes por Covid nas cidades de SC O Ministério da Saúde informou que as gestantes e puérperas - incluindo as sem fatores de risco adicionais - que tomaram a primeira dose da vacina Covid-19 da AstraZeneca devem aguardar o fim da gestação e do período puerpério (até 45 dias pós-parto) para completar o esquema vacinal com o mesmo imunizante. VÍDEOS: Vacinação contra a Covid-19 em SC Veja mais notícias do estado no G1 SC

Os veículos vão ficar em Gurupi e Dianópolis e farão a distribuição de doses nas regiões sul e sudeste do Tocantins. Medida é para evitar que as prefeituras precisem fazer viagens até a central de Palmas, que atende a estas regionais atualmente. Governo quer enviar vacinas ao interior em caminhões refrigerados que serviriam de centrais de distribuição Divulgação/Secretaria da Saúde O Governo do Tocantins disse nesta quinta-feira (24) que pretende contratar dois caminhões refrigerados para funcionarem como centrais de distribuição móveis de vacinas. Os veículos seriam abastecidos com os imunizantes contra a Covid-19 em Palmas e enviados para Gurupi e Dianópolis. O objetivo é que as carretas atendam aos municípios das regiões sul e sudeste do estado. Ainda não há prazo para a realização desta contratação e não foi informado uma estimativa de gastos com o aluguel. Atualmente, o Tocantins tem apenas duas centrais de distribuição dos imunizantes, uma em Araguaína e outra na capital. A de Araguaína atende a todo o norte do estado e a de Palmas as cidades das regiões central, sul e sudeste. O aluguel dos caminhões seria para que as prefeituras das regiões sul e sudeste, onde estão Gurupi e Dianópolis, consigam buscar as vacinas sempre precisar se deslocar até Palmas. "A distribuição das vacinas é feita toda semana de quarta a sexta-feira, mas há municípios que não conseguem vir a Palmas toda semana, pelos gastos que esse deslocamento provoca, por isso a ideia de instalação dos novos polos de distribuição vem para facilitar esse acesso. Os caminhões sairão de Palmas, indo até essas cidades; e lá, os prefeitos poderão retirar as doses destinadas aos seus municípios", explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Perciliana Bezerra. A medida foi anunciada durante a primeira reunião do Grupo de Trabalho (GT) montado na última semana para o monitorar o Plano Estadual de Vacinação. O Palácio Araguaia ainda não detalhou como será feita a segurança destes caminhões. Nas outras centrais estaduais, o policiamento é realizado por equipes especializadas. A distribuição das vacinas tem sido fonte de desentendimentos entre o governo estadual e os municípios. Em abril o secretário de saúde, Edgar Tollini, disse durante uma audiência na Assembleia Legislativa que houve cidades que ficaram duas semanas sem fazer retiradas de remessas e que isso estava atrasando a imunização. Neste mês, uma declaração do governador Mauro Carlesse (PSL) sobre a demora no resgate das vacinas irritou a Associação Tocantinense de Municípios. Em nota, a ATM criticou o governo por não ir distribuir as vacinas nos municípios e por não colocar profissionais de saúde à disposição para auxiliar na aplicação das doses. Para a madrugada desta sexta-feira (25), o governo espera a chegada de mais 56.170 doses de três vacinas: 27.200 da CoronaVac, 18.720 da Pfizer e 10.250 da Janssen. Essa remessa só deve ser distribuída na semana que vem. Veja mais notícias da região no G1 Tocantins.

Vacinação continua para trabalhadores da saúde, profissionais da educação, pessoas com doenças preexistentes e grávidas sem comorbidades. Atendimento será na modalidade pedestre e drive-thru; veja locais. VÍDEO: Vacinação contra a Covid-19, em Goiânia A Prefeitura de Goiânia ampliou a vacinação contra a Covid-19 para pessoas a partir de 49 anos fora dos grupos prioritários, puérperas e lactantes neste sexta-feira (25). A aplicação continua para trabalhadores da saúde, profissionais da educação, pessoas com doenças preexistentes e grávidas sem comorbidades. O atendimento será feito em 27 postos com agendamento na modalidade pedestre e sem agendamento em um posto drive-thru (veja locais abaixo). Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) o município recebeu nesta quinta-feira (24), uma remessa com 15.540 doses de vacinas contra a Covid-19. Gestantes, puérperas e lactantes vão receber a dose somente na Área I da PUC, sem necessidade de agendamento. Já os grupos prioritários serão vacinados apenas após agendamento no aplicativo "Prefeitura 24 horas" - disponível para Android e IOS. O drive-thru do Passeio das Águas vai atender os moradores a partir de 49 anos, sem agendamento. Neste grupo, o morador também pode optar por agendar a vacinação no aplicativo da prefeitura. O município continua aplicando a segunda dose da vacina para quem precisa do reforço, mas apenas na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Jardim América. Não é necessário agendar. Veja quem pode se vacinar Pessoas acima de 49 anos fora dos grupos prioritários; Pessoas com Síndrome de Down, de 18 anos a 59 anos; Profissionais da saúde; Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise), de 18 a 59 anos; Gestantes, puérperas e lactantes com ou sem comorbidades; Pessoas com comorbidades de 18 a 59 anos ; Pessoas com Deficiência Permanente cadastradas ou não no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC) de 18 a 59 anos. Pessoas com doenças cerebrovasculares (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico, ataque isquêmico transitório e demência vascular); Com doenças neurológicas crônicas que impactem a função respiratória; Com doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular; Com deficiência neurológica grave, paralisia cerebral, esclerose múltipla ou condições similares. Alzheimer: transtorno neurodegenerativo progressivo e fatal; Atrofia muscular espinhal (AME): doença hereditária e degenerativa do sistema nervoso/muscular; Esclerose lateral amiotrófica (ELA): doença que afeta o sistema nervoso de forma degenerativa e progressiva e acarreta em paralisia motora irreversível; Trabalhadores da educação infantil, fundamental, médio e superior a partir de 18 anos; Segunda dose em pessoas idosas que já estão no tempo; Trabalhadores da saúde autônomos que atuam em serviços de assistência à saúde. Documentos necessários Para receber a vacina contra a Covid-19, é preciso apresentar CPF, documento de identificação com foto e data de nascimento e comprovante de endereço. Profissionais da educação devem apresentar a autodeclaração assinada (disponível no site da SMS) e comprovante de atuação (crachá, contrato de trabalho, contracheque ou carteira de trabalho). Grávidas e puérperas com ou sem comorbidades devem apresentar documentação que comprove a gestação, por exemplo, betaHCG, ultrassonografia etc, além de relatório médico comprovando a comorbidade. Já as lactantes devem apresentar a certidão de nascimento do bebê. Pessoas com doenças preexistentes devem levar um destes documentos: laudo médico com a indicação da comorbidade; formulário disponível no site da prefeitura, carimbado e assinado pelo médico; prescrição médica de vacinação com indicação da comorbidade; ou relatório da equipe de atenção primária com a cópia do prontuário do paciente. Locais de vacinação da 1ª dose Grupos prioritários e pessoas a partir de 49 anos, sem comorbidades, 10h às 17h Pedestre, com agendamento: CIAMS Novo Horizonte: Rua, Av. Eng. José Martins Filho, s/n - Vila Novo Horizonte CSF Pq Santa Rita: Rua SR 1, 290 - Parque Santa Rita CSF Residencial Itaipu: Rua Ri 9, 08 - Qd 107 - Residencial Itaipú CSF Boa Vista: Av. dos Ipês, 1656 - Boa Vista CSF Novo Planalto: Rua Vm3c Qd 91 Lt 11 Setor Novo Planalto CSF Vila Mutirão: Avenida do Povo Qd. D - Vila Mutirão CS Cidade Jardim: Praça Abel Coimbra, 350 - Cidade Jardim CSF Leste Universitário: R. 218 - Setor Leste Universitário CS Marinho Lemos: Av. Armando de Godoy, s/n - Setor Negrão de Lima CSF Guanabara I: R. Porto Alegre, 44 - Jardim Guanabara Ciams Urias Magalhães: R. Guajajaras, s/n - Setor Urias Magalhães CSF São Francisco: Av Das Palmeiras Qd 89 Lt 10 Bairro São Francisco CSF Vera Cruz II: Av. Leopoldo de Bulhões, s/n - Conj. Vera Cruz CS João Braz: R. Rodrigues Alves, s/n - Parque Industrial João Braz CSF Cerrado IV: R. Pingo de Ouro, s/n - Jardim do Cerrado UPA Chácara do Governador: Av Padre Monte, s/n Lotes 12, Rua L-13 - Chácara do Governador UPA Novo Mundo: Av. New York, 667-569 - Jardim Novo Mundo CSF Recanto das Minas Gerais: Rua Siena, s/n - St. Recanto das Minas Gerais UPA Jd América: Praça C-201, 2-82 - Jardim América C.S Parque Amazônia: Praça José Rodrigues de Morais, Av. Sen. José Rodrigues de Morais Neto, Parque Amazônia Região Sudoeste: Escola Municipal Francisco Matias - Endereço: R. Carlos Gomes - Parque Anhanguera; Região Noroeste: Escola Municipal Coronel José Viana - Endereço: Rua CM7 - St. Cândida de Morais; Região Norte: Escola Municipal Pedro Costa de Medeiros - Endereço: Rua Caiapônia, nº 240 - Jardim Guanabara I Região Oeste: Escola Municipal Lions Club Bandeirante - Endereço: Praça da Bandeira, 200, Quadra 30, Bairro Goiá; Região Leste: Escola Municipal Bárbara de Sousa Morais - Endereço: Av. Uruguaiana - Jardim Novo Mundo; Região Sul: Escola Rotary Goiânia Oeste - Endereço: Rua C-118, nº 389, Qd. 238, Lt. 19 - Jardim América Área I da PUC: R. 235, 722 - Setor Leste Universitário Gestantes, puérperas e lactantes sem comorbidades, 8h às 17h Pedestre, sem agendamento Área I da PUC: R. 235, 722 - Setor Leste Universitário Drive-thru - sem agendamento, das 8h às 15h Somente para pessoas a partir de 49 anos fora dos grupos prioritários. Shopping Passeio das Águas: Av. Perimetral Norte, 8303 - Fazenda Caveiras Local de vacinação da 2ª dose Pedestre, sem agendamento, 10h às 17h: Ciams Dr Domingos Viggiano, antigo Ciams Jardim América: Praça C-201, 2-82 - Jardim América Vacinação vacina Covid-19 coronavírus Goiânia Goiás Reprodução/SMS Veja outras notícias da região no G1 Goiás. VÍDEOS: coronavírus em Goiás

Distribuição de água na capital acreana vai ser feita por rodízio e de forma reduzida enquanto equipes trocam subestação da ETA II. Serviço começou nesta quinta (24) e se estende até a sexta (25). Depasa prepara desligamento da ETA A Estação de Captação de Água (ETA II), na Via Verde, em Rio Branco, começa a ser desligada nesta quinta-feira (24) para troca da subestação de distribuição que corre o risco de desabar. Com o desligamento, que segue até esta sexta (25), o abastecimento de água na capital acreana vai ser reduzido. O Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) afirmou que a cidade não vai ficar desabastecida, mas haverá uma redução da vazão. As equipes vão colocar uma nova subestação e o procedimento vai durar dois dias. No último dia 7, o governo Acre decretou situação de emergência e alertou para uma possível crise hídrica na capital. A principal estação de captação e tratamento de água, a ETA II, construída às margens do Rio Acre, apresenta várias rachaduras com o risco de desabar a qualquer momento. A estação é responsável por abastecer 70% da cidade, cerca de 250 mil pessoas. O secretário-adjunto de Infraestrutura do Depasa, Jamerson Lima, explica que as bombas que ficam no rio, inclusive as flutuantes, vão ser desligadas gradativamente. Segundo ele, a operação não compromete o abastecimento. Com risco de desabastecer Rio Branco devido ao deslizamento, governo decreta emergência na ETA II Com novo deslizamento em ETA, Rio Branco volta a correr risco de desabastecimento "Com a subestação acionada e energizada vamos para a fase de testes e fazer toda parte de programação dos inversores de frequência e quadros de comando. Concluir essa primeira parte do dia, na segunda já começamos a fazer o desligamento gradativo das bombas que ficam no rio", destacou. Ainda segundo o secretário, haverá um rodízio de distribuição de água nos bairros durante a operação. A previsão, conforme Lima, se o serviço for concluído na sexta, é que o sistema volte a funcionar normalmente no mesmo dia. "Amanhã [sexta, 25] vai realmente paralisar o sistema, que é para acionamento da bomba KSB e pretendemos concluir em 24 horas. Já está sendo feito a reserva nos reservatórios para manter o abastecimento, só que em forma de rodízio", frisou. Abastecimento de água é reduzido em 5 bairros de Rio Branco por problemas em bomba na ETA II Rede Amazônica Acre Sem riscos O secretário garantiu que, com a troca da subestação, os desligamentos do sistema da ETA II e os constantes problemas no abastecimento devem acabar. No último dia 7, a distribuição de água foi comprometida novamente por causa de problemas mecânicos em uma das bombas da ETA II. Com o problema no sistema de abastecimento do Reservatório Calafate, ficaram com redução na distribuição os bairros Calafate, Nova Estação, Portal Amazônia, Rui Lino III e Tucumã. "O que está sendo feito aqui é consequência do desbarrancamento que colocou em risco de parada total a estação da ETA II. Com a construção da subestação, esse risco está eliminado, então, não temos mais parada do sistema por conta do desbarrancamento. Mas, não estão incrementando em volume de água, apenas substituindo uma estação antiga para uma nova", complementou. Reveja os telejornais do Acre
O Ipec ouviu 2.002 pessoas, de 17 a 21 de junho. O nível de confiança é de 95%. Ipec divulga pesquisa sobre a avaliação do governo do presidente Bolsonaro O Ipec divulgou uma pesquisa sobre a avaliação do governo do presidente Bolsonaro. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Em fevereiro, 28% consideravam a administração do presidente Bolsonaro ótima ou boa. Agora, o número caiu para 24%; e 31% avaliavam como regular. Agora, 26%. Para 39% dos entrevistados, a administração era ruim ou péssima em fevereiro. Na nova pesquisa, o índice subiu para 49%. Não souberam ou não responderam em fevereiro, 2%. Agora, 1%. Os números da aprovação à forma do presidente Jair Bolsonaro administrar o país são os seguintes: em fevereiro, 38% aprovavam a forma de Bolsonaro administrar. Agora, esse índice caiu para 30%. E 58% desaprovavam a forma de administrar em fevereiro. Agora, são 66% os que não aprovam. Não souberam ou não responderam em fevereiro, 5%. Agora, 4% O Ipec também quis saber se os entrevistados confiam no presidente Bolsonaro. Em fevereiro, 36% responderam que confiavam em Jair Bolsonaro. Agora, o índice caiu para 30%. Sessenta e um por cento dos entrevistados disseram, em fevereiro, que não confiavam no presidente. O índice subiu para 68% em junho. Não sabiam ou não responderam: 3% em fevereiro; agora, 2%. O Ipec ouviu 2.002 pessoas, de 17 a 21 de junho. O nível de confiança é de 95%. O Ipec foi criado por ex-executivos do Ibope Inteligência após o seu encerramento e atua na área de consultoria e inteligência em pesquisas de mercado, opinião pública e política.

Homenagem contou com a participação de músicos da Orquestra Municipal de Guarujá, Banda Sinfônica de Cubatão e da Banda da Polícia Militar. Músico tem alta e recebe homenagem de colegas em Cubatão O músico e pedagogo Alessandro Ribeiro, de 42 anos, recebeu alta nesta quinta-feira (24) do Hospital de Cubatão (SP), administrado pela Fundação São Francisco Xavier, após passar 17 dias internado devido à Covid-19. Em comemoração à recuperação de Ribeiro, um grupo de músicos da Baixada Santista fez uma apresentação especial na porta da unidade. Alessandro Ribeiro é um músico conhecido na região. Ele toca desde os 7 anos de idade, e participa da Orquestra Municipal de Guarujá, na Banda Sinfônica de Cubatão, na Banda Marcial e é professor voluntário no projeto social Banda Marcial Infantil. Na adolescência, ganhou o apelido de Mexicano, por causa do bigode que usava e do instrumento trompete, associado aos mariachis mexicanos. O cunhado de Ribeiro, Jonis Ferreira, que também é músico, afirma que rapidamente combinou com amigos para fazer a homenagem. Conforme relata, participaram amigos da Orquestra de Guarujá, da Banda da Polícia Militar e da Banda Sinfônica de Cubatão. O grupo apresentou uma música de louvor chamada 'Eu te Agradeço Deus'. Músico venceu a Covid-19 em Cubatão, SP Divulgação/Hospital de Cubatão Gratidão A psicóloga Gisélia Gomes dos Santos Ribeiro, de 39 anos, esposa de Alessandro, afirmou que ficou muito emocionada com a alta do marido e com a homenagem que ele recebeu. "Ele foi internado no dia 7 de junho durante a noite, data em que passou mal e foi para a UPA do Casqueiro, com muita falta de ar e tosse", relembra. De acordo com a esposa, Alessandro foi encaminhado no mesmo dia para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Cubatão, onde passou a maior parte do tempo internado, indo para a enfermaria só nos últimos dias de internação. "Nos últimos dias, ele estava na enfermaria. Logo que chegou ao hospital, estava com 80% dos pulmões comprometidos, e depois ainda teve derrame e infecção. Eu também fiquei internada devido à Covid-19 no Hospital de Cubatão. Inclusive, quando meu marido foi internado, eu permaneci hospitalizada, mas não fui para a UTI e recebi alta antes dele. A equipe foi maravilhosa conosco, teve muito carinho, e lutou pela vida do meu esposo. Oro para que eles tenham muita saúde. Essa é uma doença muito grave e rápida", diz. Ribeiro também demonstrou muita gratidão pela homenagem e atendimento que recebeu no hospital. "A fisioterapeuta Alcione me auxiliou muito para que, depois de um tempo, eu possa voltar a tocar instrumentos, e me explicou que terei um tempo de adaptação, antes de poder voltar a trabalhar tocando", diz. De acordo com o músico, a homenagem dos amigos foi muito emocionante. "Fiquei muito feliz, vieram quase todos os meus amigos. Foram 17 dias internado, e eu tinha muito medo de não voltar, porque estava sem forças. Estou muito feliz de estar recuperado", diz. Amigos fizeram homenagem ao músico nesta quinta-feira (24) em Cubatão, SP Divulgação/Hospital de Cubatão VÍDEOS: As notícias mais vistas do G1

Acidente aconteceu na Avenida das Américas, na altura da estação Guiomar Novaes. O motorista que causou o acidente teve ferimentos leves e foi socorrido no Hospital Lourenço Jorge. Imagens dos carros que se envolveram no acidente no Recreio dos Bandeirantes, no Rio Reprodução/Reprodução Um acidente entre um carro, um ônibus e outros dois veículos, por volta das 19h desta quinta-feira (24), na Avenida das Américas, na altura da Estação BRT Guiomar Novaes, causou congestionamento e ocupou uma faixa no sentido Guaratiba, na Zona Oeste do Rio. Segundo a Prefeitura do Rio, o veículo de passeio fez uma conversão proibida próximo à estação Guiomar Novaes, no Recreio dos Bandeirantes, e acabou provocando um acidente com o ônibus, que fazia a linha do BRT. Imagem do ônibus após a batida Divulgação/Prefeitura do Rio Com o impacto da colisão, o mesmo veículo de passeio voltou para a pista e atingiu outros dois carros. O Corpo de Bombeiros e a CET-Rio foram acionados, e o motorista que fez a conversão proibida teve ferimentos leves e foi encaminhado ao Hospital Lourenço Jorge. Às 21h30, segundo o Centro de Operações Rio, todos os veículos envolvidos na batida foram retirados da pista e a via liberada para o trânsito. ônibus do BRT após ser atingido por veículo de passeio Divulgação/Prefeitura do Rio Mais de 100 acidentes desde o início do ano A falta de respeito de motoristas de carros, motos e vans às leis de trânsito já causou 144 acidentes nas pistas exclusivas do BRT desde o início de 2021. As informações são da equipe de intervenção do BRT. Os trechos onde são registrados mais infrações são do Terminal Alvorada até o Pontal e em todo o corredor Transcarioca.
Ministério Público Federal alertou sobre possível descumprimento do contrato. Ministério da Saúde respondeu, afirmando que todos os fornecedores de vacinas enfrentavam dificuldades. Após receber um alerta do Ministério Público Federal em relação ao possível descumprimento do contrato de compra da vacina indiana Covaxin, o Ministério da Saúde minimizou os riscos e defendeu que era preciso “compreensão” com as dificuldades enfrentadas por fornecedores de vacina. A resposta ao Ministério Público consta de ofício de 16 de abril assinado pelo diretor do Departamento de Logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias. Ele foi cobrado, em 5 de abril, pela procuradora da República no Distrito Federal Luciana Loureiro sobre quais providências o Ministério da Saúde adotaria “quanto ao provável atraso e/ou descumprimento” do contrato. Compra da Covaxin: 4 pontos sobre a denúncia de irregularidades Os ofícios foram enviados pelo Ministério Público Federal para a CPI da Covid. O Ministério da Saúde ressaltou que os problemas para a execução dos contratos não eram exclusivos do fabricante da Covaxin. “Vale destacar que por se tratar de insumo de extrema importância, não só para este Ministério, mas para todo o país, faz-se necessário registrar o esforço e a compreensão das dificuldades encontradas por todos os fornecedores de vacina. Todos os contratados como Butantan, Fiocruz, União Química, Pfizer e Jansen em algum momento da assinatura do contrato até o presente momento apresentaram alguma dificuldade, sendo este Ministério responsável por auxiliá-los na resolução dos problemas”, diz o texto. O ministério também informou à procuradora que chegou a notificar a empresa Precisa Medicamentos, que intermediou a negociação para aquisição pelo governo da vacina Covaxin, fabricada pelo laboratório indiano Bharat Biotech. Essa notificação ocorreu em 30 de março. No mesmo documento, o diretor do Ministério da Saúde lembrou que o Bharat Biotech teve a certificação de boas práticas de fabricação negada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Conheça a Covaxin, vacina indiana que está no foco da CPI da Covid O ofício diz que a rejeição não necessariamente impediria a entrega dos lotes da vacina Covaxin pela empresa Precisa, mas que essa decisão acabou pesando em uma outra deliberação da agência: a que negou, em março, autorização excepcional e temporária para importação e distribuição das doses da vacina — essa autorização acabou sendo posteriormente concedida no início deste mês. "Cumpre esclarecer que o pedido de Certificação de Boas Práticas de Fabricação – CBPF, negado pela Anvisa, não necessariamente impediria a entrega dos lotes da vacina Covaxin pela empresa Precisa Medicamentos Ltda. No entanto, esse impedimento, após inspeção realizada pela agência na fábrica e considerada insatisfatória, foi relevante na votação da diretoria colegiada da Anvisa para a concessão da autorização excepcional de importação desse insumo, a qual também teve decisão indeferida." O documento relatou ainda que, até aquele momento, tinham sido feitas três reuniões entre Anvisa, técnicos do Ministério da Saúde e a empresa Precisa para discutir a documentação necessária para a autorização de importação da vacina. A empresa, por exemplo, não tinha apresentado o relatório técnico da avaliação do medicamento ou vacina para Covid-19, documento necessário para a concessão de autorização de importação. "Em vista dos fatos relatados, a empresa foi impedida de realizar o cumprimento do cronograma estabelecido no contrato nº 29/2021, que previa a primeira entrega em até 20 (vinte) dias a partir da assinatura do contrato, 25/02/2021." Segundo a procuradora Luciana Loureiro, há indícios de possíveis irregularidades no contrato para a entrega de R$ 20 milhões de doses da Covaxin no valor total de R$ 1,6 bilhão. O preço de cada dose foi fixado em US$ 15, superior ao de outras vacinas no mercado internacional, como a da Pfizer. O contrato para a compra da Covaxin foi firmado entre o Ministério da Saúde e a Precisa Medicamentos, empresa responsável pela ponte entre o governo federal e o laboratório que produz a vacina na Índia. A empresa é a única intermediária que não tem vínculo com a indústria de vacinas. Mesmo após alertas sobre os problemas na execução, o governo teria insistido no contrato.

Material foi apreendido ao longo de dois meses na Grande Vitória. Polícia vai incinerar mais de uma tonelada de drogas e armas no ES Mais de 1 tonelada de drogas foi incinerada pela Polícia Civil do Espírito Santo nesta sexta-feira (25). O material foi apreendido ao longo de dois meses na Grande Vitória. Entre os entorpecentes estão maconha, crack, cocaína, êxtase e LSD. A droga foi levada para uma siderúrgica onde foi incinerada. O local não foi divulgado. Droga que será incinerada no ES Reprodução/ TV Gazeta A incineração acontece durante a 23ª Semana Nacional de Políticas Sobre Drogas, que começou na segunda-feira (21) e vai até a sexta-feira (25), mobilizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. No sábado (26), é comemorado o Dia Internacional de Combate às Drogas. Segundo a Polícia Civil, neste período, acontecem debates de temas relacionados à prevenção, ao tratamento de dependentes químicos e à repressão da oferta de entorpecentes no país. "Essa pilha de droga só é apreendida porque tem um esforço lá na ponta dos nossos agentes de segurança para retirar essas drogas que fazem tanto mal para pais, mães, famílias e que são responsáveis por 80% dos homicídios no Brasil e no Espírito Santo", disse o secretário de Segurança Pública, Alexandre Ramalho. A Polícia Civil também apresentou as armas apreendidas em operações da polícia nos últimos dois meses. Segundo a corporação, a maioria é de pistolas usadas por traficantes na disputa entre gangues. O bairro da Penha, em Vitória, seria um dos locais que mais houve apreensões. Armas apreendidas pela PC no ES Reprodução/ TV Gazeta Vídeos: tudo sobre o Espírito Santo

Rodney Miranda afirma que fugitivo foi visto: 'Temos um indicativo forte de onde ele está'. Cerca de 270 policiais buscam há 16 dias pelo criminoso, em Goiás. Policiais fazem buscas por Lázaro Barbosa em região de chácaras O secretário de Segurança Pública Rodney Miranda anunciou na noite desta quinta-feira (24) que duas pessoas foram presas durante as buscas a Lázaro Barbosa, que é investigado por uma chacina em Ceilândia, no DF, e pelo menos outros sete crimes. Os detidos são suspeitos de ajudá-lo na fuga. A equipe ainda encontrou um esconderijo onde o criminoso pode ter se abrigado. “Prendemos duas pessoas que estavam auxiliando ele nas fugas, principalmente a se esconder da ação policial. Eles estão sendo autuados agora por porte ilegal de arma de fogo e por facilitação da fuga”, disse. Cerca de 270 policiais buscam há 16 dias pelo fugitivo na região Cocalzinho de Goiás. As equipes começaram um cerco policial às 14h45 desta quinta-feira quando várias viaturas da força-tarefa deixaram a base de comando (veja vídeo acima). Até as 20h40, uma estrada de terra que dá acesso ao local continuava bloqueada. Impedidos de passar, vários moradores ficaram por horas na enorme fila. Presos suspeitos de ajudar Lázaro na fuga tinham duas armas de fogo, diz SSP Divulgação/SSP-GO Segundo o secretário, as equipes estão cada vez mais perto de Lázaro. Rodney contou ainda que a força-tarefa encontrou um esconderijo onde o criminoso poderia estar se acomodando. “Ele andava sempre pelos canais. Dificultando nosso trabalho. Temos um indicativo forte de onde ele está. Vamos virar a noite até prendê-lo. Nós fechamos o perímetro e estamos cercando cada vez mais”, contou. Rodney contou ainda que Lázaro foi visto nesta quinta-feira. "Ele foi visto de muito longe, um vulto que se confirmou. Uma testemunha ouviu e os dois que estão sendo autuados confirmaram. Descobrimos o esconderijo dele. Uma casa onde davam guarita pra ele", explicou. Força-tarefa que procura Lázaro Barbosa tem dois presos por facilitar fuga e encontra esconderijo, diz secretário Reprodução/TV Anhanguera Com os presos, a polícia apreendeu duas armas de fogo, com mais de 50 munições, sendo que uma delas foi roubada em um dos crimes. Os homens foram detidos em Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás, e serão levados para a Central de Flagrantes de Águas Lindas de Goiás. A SSP informou que acredita que há uma “rede criminosa” que apoia Lázaro, mas ressaltou que a força-tarefa está trabalhando com o objetivo de prendê-los. O secretário revelou que os detidos já tentaram retirar o fugitivo do perímetro onde ocorrem as buscas, mas que o cerco realizado nesta tarde ajudou a impedir. “Quem facilita a vida de foragido comete crime. Nós temos indício de que há outras pessoas ajudando e nós vamos chegar nelas. A gente tem alcançado o nosso grande objetivo que é não o deixar cometer mais crimes. E, a cada dia, nós estamos mais próximos dele e dessa rede criminosa que apoia absurdamente esse sujeito”, contou. Rodney disse ainda que acredita que pode estar havendo divulgação de notícias falsas com o objetivo de levar a investigação para “outro lado”. Força-tarefa que procura Lázaro Barbosa tem dois presos por facilitar fuga e encontra esconderijo, diz secretário Guilherme Rodrigues/G1 “Temos muito a questão das denuncias falsas para levar nossa ação para outros lados [...]. Pode ser que [Lázaro] tenha saído? Pode ser, a probabilidade é muito pequena. Agora, um desses autuados hoje, já tentou tirá-lo do perímetro? Já tentou. Mas não conseguiu”, contou. Ainda conforme a SSP, Lázaro é investigado por pelo menos sete crimes cometidos antes da morte de quatro pessoas de uma família em Ceilândia, no DF. O secretário não deu mais detalhes sobre os delitos. “Ele é investigado por pelos menos outros sete crimes. Maioria latrocínio. Todos antes de Ceilândia”, revelou. Cerco policial que procura por Lázaro Barbosa segue até a noite, em Girassol, Cocalzinho de Goiás Guilherme Rodrigues/G1 Cronologia da fuga 9 de junho: Lázaro invadiu uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Roubou a chácara após o assassinato da família. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele; 11 de junho: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás logo em seguida. 12 de junho: Ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região, sendo que dois estavam em estado grave até sábado (19). 13 de junho: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 após avistar uma barreira policial, dando sequência à fuga para uma mata. 14 de junho: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido. Lázaro foi filmado no curral de uma fazenda entre os distritos de Edilândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. O caseiro diz que o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata; 15 de junho: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia. Uma parente da família relatou os momentos de pânico; 16 de junho: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural. 17 de junho: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de segurança pública acredita que ele esteja ferido; 18 de junho: durante buscas o secretário de segurança pública disse que acredita ter visto Lázaro. Segundo PRF, ele foi visto em um chiqueiro durante a tarde, mas fugiu novamente para vegetação; 19 de junho: a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas, depois que um morador afirmou ter visto Lázaro em uma gruta da região. No mesmo dia, a cadela que atuou nas buscas pelas vítimas da tragédia de Brumadinho chegou a Cocalzinho de Goiás; 20 de junho: as buscas por ele foram intensificadas por policiais civis, militares e federais. Foram usadas três aeronaves e cinco cães farejadores na caçada. 21 de junho: Pela manhã uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área. Militares de vários batalhões vasculharam casas rurais em busca de pistas e rastros que Lázaro possa ter deixado; 22 de junho: policiais retomam buscas por Lázaro e recebem rádios comunicados do Exército Brasileiro com alcance de 30km. Pela manhã, equipes periciaram um carro que foi encontrado queimado e, à tarde, um lençol e um serrote, que foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado, em Águas Lindas de Goiás. À noite, um novo cerco foi montado após troca de tiros entre fazendeiro e suposto invasor. 23 de junho: a SSP disponibilizou um aplicativo para que moradores em uma área de 100 km de distância da região de busca possam fazer denúncias ou pedidos de ajuda. Equipes fizeram buscas em áreas de chácara, mas não conseguiram localizar pistas do fugitivo; 24 de junho: a força-tarefa saiu durante a tarde para fazer buscas em uma região de chácaras de girassol. O secretário de segurança, Rodney Miranda, saiu em uma viatura descaracterizada. Helicópteros também sobrevoaram a região. Veja outras notícias da região em G1 Goiás. VÍDEOS: últimas notícias de Lázaro Barbosa Veja percurso feito por Lázaro Barbosa de Sousa após matar família no DF Arte/G1 Initial plugin text

Ao todo, 70 pecuaristas já denunciaram suspeito preso preventivamente desde terça-feira (22). Polícia Civil calcula prejuízos de R$ 30 milhões aos produtores rurais. Polícia recebe novas denúncias contra homem preso por suspeita de golpe na venda de gado no RS Sobe para 70 o número de produtores rurais que registraram ocorrência policial contra o homem preso suspeito de aplicar golpes na venda de animais na Fronteira e na Região Central do Rio Grande do Sul. Na terça-feira (22), quando o homem foi preso preventivamente, eram 30 denúncias notificadas na Delegacia de Polícia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato (Decrab). Os casos foram registrados em, ao menos, 14 municípios do estado. O prejuízo estimado aos pecuaristas, segundo a Polícia Civil, é de R$ 30 milhões. Sete pessoas ligadas ao suspeito tiveram os bens bloqueados pelo Judiciário a pedido da Decrab. Um segundo suspeito já tinha sido preso preventivamente, também na terça, em Caçapava do Sul. Gado em fazenda na cidade de Formigueiro Reprodução/RBS TV Investigação O delegado André de Matos Mendes, titular da Decrab, explica que o suspeito dos golpes alternava a negociação entre os compradores para fazer girar os lucros. "Ele comprava gado por um valor a prazo, para pagar em um mês, dois meses, e vendia esse mesmo gado por um preço mais baixo e prazo menor para receber. Ia girando esse dinheiro. Até que, num determinado momento, aconteceu esse problema: ele ficou devendo para bastante gente", disse Mendes. Segundo os pecuaristas, o gado era vendido sem contrato, em uma negociação informal. O pagamento era feito através de depósitos bancários ou cheques pré-datados. Contudo, a conta indicada no acerto não tinha fundos. Um dos produtores que denunciou o caso à polícia diz que fazia negócios frequentes com o suspeito, criando uma relação de confiança. Uma vez, no entanto, o comprador recolheu os 542 animais negociados sem efetuar o pagamento, de quase R$ 5 milhões. Ao contrários dos outros pecuaristas, que já conheciam o homem, Roberto Machado fez negócio com o suspeito pela primeira vez. O produtor recebeu um cheque, tentou descontá-lo, mas viu que não tinha saldo. Já outro pecuarista relatou que vendeu 70 animais para o suspeito. Somando com as vendas feitas pelo pai e pelo irmão, eles tiveram um prejuízo de R$ 500 mil. VÍDEOS: Tudo sobre o RS
Mesmo na fase vermelha, restrições foram flexibilizadas pelo governo. Estado acumula 212.471 casos confirmados e 5.218 mortes por Covid. Novo decreto em Alagoas amplia horário de bares e restaurantes; confira mudanças Começam a valer nesta sexta-feira (25) as novas regras de distanciamento social controlado em Alagoas. O mais recente decreto da fase vermelha amplia funcionamento de bares, restaurantes, comércio e shoppings, permitindo que abram aos fins de semana e feriados. As praias e os calçadões agora estão liberados todos os dias. A restrição de circulação também foi reduzida, ficando autorizado sair de casa entre 23h e 5h somente para realização de serviços essenciais. As medidas ficam em vigor até as 23h59 do dia 8 de julho (veja mais abaixo as principais mudanças). A flexibilização acontece em um momento em que os casos confirmados de Covid seguem em alta, apesar de a média móvel de mortes por Covid se manter em estabilidade. Desde o início da pandemia até esta quinta (24), o estado acumula 212.471 casos confirmados e 5.218 mortes por Covid. As principais mudanças na fase vermelha Bares e restaurantes - funcionam todos os dias. 5h às 22h, de segunda a sexta-feira; de 5h às 20h, fim de semana e feriado. Após esses horários é permitido o funcionamento somente por delivery e no esquema 'pegue & leve' lojas do centro - de 9h às 17h, todos os dias lojas de rua e galerias - de 10h às 18h, todos os dias shoppings - de 11h às 20h, todos os dias praias, calçadões, lagoas, rios e clubes - autorizados todos os dias, inclusive fins de semana e feriados Academias e centros de ginástica - podem funcionar das 5h às 22h Servidores públicos com comorbidade - o retorno desses funcionários ao trabalho foi permitido, desde que tenham tomado as duas doses da vacina contra a Covid-19. O Protocolo Sanitário de Distanciamento Social Controlado determina o que pode e o que não pode abrir, de acordo com a fase em que o estado estiver classificado — são cinco cores: vermelha (mais restritiva), laranja, amarela, azul e verde (mais flexível). Contudo, desde que o estado retrocedeu da fase azul e voltou para a fase vermelha, em março, as regras vêm sendo flexibilizadas cada vez mais, mesmo com a permanência na fase que deveria ser a mais rígida. PERGUNTAS E RESPOSTAS: as fases do distanciamento social controlado Assista aos vídeos mais recentes do G1 AL , vão poder funcionar todos os dias, inclusive nos feriados. 5h às 22h De Veja as principais notícias da região no G1 AL

Levantamento foi realizado entre municípios que possuem mais de 50 mil habitantes. Dados comparam o número de empresas, unidades locais e organizações atuantes entre os anos de 2018 e 2019. Vista aérea de Vilhena Prefeitura de Vilhena/Divulgação Vilhena foi o município de Rondônia que apresentou o maior crescimento no número de empresas, unidades locais e organizações atuantes entre os anos de 2018 e 2019, segundo dados do Cadastro Central de Empresas divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A cidade passou de 2.885 empresas para 3.255, um aumento de 12,8%. O levantamento foi realizado entre cidades que possuem mais de 50 mil habitantes, sendo elas: Porto Velho, Ji-Paraná, Ariquemes, Vilhena, Cacoal, Rolim de Moura e Jaru. Em números absolutos, Porto Velho lidera o ranking do crescimento, com 545 novas unidades nesse período. Já se considerar todo o estado de Rondônia, o aumento foi de 5%, passando de 34.570 empresas para 36.307. O índice de crescimento, no entanto, foi menor que a taxa brasileira (6,3%) e a da Região Norte (7%). O IBGE também apresentou dados sobre as pessoas quem possuem uma ocupação no estado. Dos municípios, Porto Velho foi o único que apresentou uma redução, com 1,6% menos pessoas ocupadas. Enquanto isso, Vilhena e Rolim de Moura tiveram os maiores índices de crescimento, sendo 6,2% e 6,1% respectivamente. Mais de 45% das empresas no estado são de comércio em geral ou atuam com reparação de veículos automotores e motocicletas, no entanto, o maior grupo de ocupados em Rondônia é o de funcionários públicos, que representam 29,4% do todo. Os trabalhadores do comércio são 27,4%. Veja mais notícias de Rondônia

Réu por cinco homicídios consumados e 14 tentados, ele teve exame de sanidade mental negado pela 3ª vez. Acusado dará seu depoimento à justiça via internet de dentro de unidade prisional. VÍDEO: Entenda o atentado a facão em creche de Saudades (SC) O Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) informou nesta quinta-feira (24) que vai ouvir no dia 24 de agosto o jovem de 18 anos acusado de matar três crianças e duas profissionais de uma creche em Saudades, no Oeste catarinense, em maio. Ele dará seu depoimento à justiça via internet de dentro do Presídio Regional de Chapecó, mesma região, onde está preso. Antes dele, serão ouvidas pelo poder judiciário seis pessoas que sobreviveram ao ataque e 23 testemunhas de acusação. A defesa do acusado, segundo o TJ, ainda não informou quem serão suas testemunhas. A primeira audiência de instrução será em 5 de agosto. Já no dia 24 de agosto, além do acusado. outras 14 pessoas contarão suas versões do ocorrido. "Vítimas e testemunhas devem participar, preferencialmente, de maneira presencial em suas oitivas" informou o TJSC. O último a ser ouvido neste dia será o acusado. Creche em Saudades voltou a ter aulas nesta segunda-feira (24) Allan Borges/NSC TV Na manhã do dia 4 de maio, o suspeito invadiu a escola com duas facas e atacou duas professoras e quatro crianças menores de dois anos. Houve apenas uma criança ferida que sobreviveu, que foi socorrido e se recupera junto aos familiares. As demais pessoas que estavam no local conseguiram se proteger sem serem feridas. O jovem é réu por cinco homicídios consumados e 14 tentados com três qualificadoras: motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas. Um mês do ataque a creche em Saudades: 'Dias se tornaram intermináveis', diz pai de uma das vítimas Um mês após ataque, creche de Saudades tem reforço na segurança e nova decoração Exame de sanidade mental negado pela 3ª vez Também nesta quinta, o TJSC informou que negou, pela terceira vez, o pedido feito pela defesa do acusado para a realização de um exame de insanidade mental. Para prestar homenagens, família visita frente de creche em Saudades onde houve ataque Sirli Freitas/Divulgação O juiz, Caio Lemgruber Taborda, afirmou que “[...] o fato da defesa sustentar que o acusado [...] trata-se de uma pessoa mentalmente ‘doente’ não possui o condão, por si só, de embasar o deferimento da instauração do incidente de insanidade mental, especialmente porque não foi apresentado sequer um laudo médico, exame, demonstração de ingestão de medicamento ou qualquer outro documento que demonstre que o acusado tenha sido internado ou submetido a tratamento/acompanhamento em razão de algum distúrbio mental”. Para o juiz o suspeito demonstrou possuir "plena consciência da ilicitude de seus atos, tanto é que, em tese, planejou com antecedência a prática delitiva, inclusive estudando o local, horário, fragilidade das vítimas e nocividade que as armas causariam no corpo humano", informou o magistrado na decisão. Assim que foi preso, a defesa dele pediu que exame de insanidade mental do acusado fosse feito, mas a Justiça recusou o pedido. Um novo advogado tomou frente no processo e novamente um pedido para o exame foi solicitado mas a 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina negou provimento. Creche reformada A sala de aula onde ocorreu o ataque virou uma área de circulação, com enfeites que lembram filtros de sonhos. As peças repletas de flores coloridas foram feitas por voluntários que também ajudaram a dar novas cores às paredes da creche. Decorações também foram colocadas logo na entrada. Creche foi reformada após o ataque Prefeitura Saudades/Reprodução Agora, todas as escolas municipais da cidade de 9,8 mil habitantes têm portão eletrônico com um guarda trabalhando presencialmente e câmeras ainda devem ser colocadas. Após o ataque, o governo também anunciou que deve reforçar a segurança nas escolas estaduais catarinenses. Saudades fica a cerca de 70 quilômetros de Chapecó, a maior cidade do Oeste de Santa Catarina, e a 600 quilômetros da capital, Florianópolis. A prefeitura anunciou que pretende construir um memorial em homenagem às cinco vítimas. Quem são as vítimas? Keli Adriane, Sarah Luiza, Anna Bela, Murilo Massing e Mirla Renner são as vítimas do atentando a creche em Saudades (SC) Reprodução/Redes Sociais; Reprodução/NSC TV Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, era professora e dava aulas na unidade havia cerca de 10 anos Mirla Renner, de 20 anos, era agente educacional na escola Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses. Veja o que se sabe sobre o caso: Cartaz lembra funcionárias como heroínas e crianças como anjos em Saudades Sirli Freitas/Arquivo pessoal Um homem de 18 anos invadiu a escola Aquarela com duas facas às 10h de terça (4). A creche fica na cidade de Saudades (SC), 600km de Florianópolis, e atende crianças de 6 meses a 2 anos. 20 crianças estavam no local sob os cuidados de 5 professoras. A primeira pessoa que o assassino atacou foi a professora Keli Adriane Aniecevski. Mesmo ferida, ela correu para uma sala, onde estavam quatro crianças e a agente educativa Mirla Renner, de 20 anos. O homem chegou até a sala e continuou os ataques, matando Keli e três crianças. Mirla chegou a ser socorrida, mas não resistiu. Todas as vítimas foram atingidas com, pelo menos, cinco golpes de facão. O assassino tentou entrar em todas as salas da creche, mas professoras conseguiram se trancar e proteger as crianças. Na casa do assassino, a polícia encontrou R$ 11 mil e duas embalagens de facas novas. O velório e o sepultamento das cinco vítimas foi coletivo. O homem foi autuado em flagrante por cinco homicídios triplamente qualificados, além de uma tentativa de homicídio contra a criança que foi ferida. A Justiça de Santa Catarina converteu a prisão em flagrante do autor para prisão preventiva. A polícia analisou computadores encontrados na casa de autor e ouviu mais de 20 testemunhas. O autor do ataque foi ouvido pela polícia ainda no hospital seis dias após invadir a creche com facão. Ele foi levado para o presídio após receber alta. No inquérito, a polícia concluiu que ele planejou o ataque por meses e agiu sozinho. MPSC denunciou autor de ataque a creche em Saudades por cinco homicídios consumados e 14 tentados com três qualificadoras: motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa das vítimas. A denúncia do MPSC foi aceita pela Justiça de Santa Catarina em 24 de maio. Também em 24 de maio, as aulas na unidade foram retomadas. Atentado a creche em SC: infográfico mostra onde fica o estabelecimento em Santa Catarina Editoria de arte/G1 VÍDEOS: Ataque a creche de Saudades Veja mais notícias do estado no G1 SC

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, falta do medicamento ocorre desde maio. Ministério da Saúde alega que foram entregues 13,8 mil unidades em abril e não haveria pendência. Pessoas com diabetes reclamam da falta de insulina no RS Pessoas com diagnóstico de diabetes estão enfrentando dificuldade para retirar o medicamento insulina na rede pública de farmácias no Rio Grande do Sul. De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (SES), há falta da insulina aspart desde o final de maio, mas que há estoque de outros tipos. A pasta argumenta que a compra e a distribuição desse tipo de insulina é centralizada pelo Ministério da Saúde. O Ministério da Saúde, no entanto, afirmou que envia as doses de insulina de ação rápida conforme a demanda de cada estado e que não haveria pendência para o atual trimestre com o RS. "Foram entregues 13,8 mil unidades do medicamento em 23 de abril de 2021 (...) ", diz, em nota, o governo federal. Leia a nota completa no fim desta reportagem. Caixa e caneta de aplicação de insulina, medicamento em falta no RS Reprodução/RBS TV A profissional autônoma Taís Helena dos Santos conta que precisa aplicar insulina várias vez ao dia e, como tem diabetes e não pode ficar sem o medicamento, costuma retirar o medicamento de graça na farmácia do estado, em Porto Alegre. Porém, nos últimos dias não encontrou, e só tem insulina suficiente para aplicações até 30 de junho. "Para comer, eu preciso dela. Ou eu não como, minha glicose vai subir muito, vou ter muitas dores, vou ter vômito, vou ter que procurar um hospital", diz. A SES afirma que existem alternativas de substituição para os pacientes, e que esse outro tipo de insulina está disponível nas farmácias do estado. Em muitos casos, entretanto, a substituição de um tipo de insulina por outro não é simples. "Todo paciente que tem diabetes precisa fazer um cálculo complexo para fazer essa substituição, com essa insulina. Se trocar por outra que não tem a mesma ação, o mesmo tempo de ação, isso modifica muito o controle e até a adesão ao tratamento do paciente", detalha a endocrinologista Luciana Schreiner, do Hospital São Lucas da PUCRS. A preocupação é a mesma da dona de casa Cristiane Soares. O medicamento é para o filho Mateus, de 4 anos. Todo mês, ela retira duas canetas desse mesmo tipo de insulina no posto de saúde em Boa Vista das Missões, no Noroeste do estado. Contudo, também há falta de medicamento na rede do Sistema Único de Saúde. "Se ele ficar dois dias sem aplicar, um dia ou dois, ele vai parar no hospital praticamente morto", suplica. Nota do Ministério da Saúde: "O Ministério da Saúde informa que a demanda de insulina análoga de ação rápida para atendimento do 2º trimestre de 2021 foi atendida com base na lista de pacientes que a Secretaria de Estado de Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS) enviou à pasta. Foram entregues 13,8 mil unidades do medicamento em 23 de abril de 2021, não restando pendência para o trimestre vigente. A pasta reitera, ainda, que enviou um e-mail aos estados, em 18 de março de 2021, informando sobre a disponibilidade de quantitativo do medicamento para doação, para complemento da demanda. A SES/RS, no entanto, não respondeu ao e-mail e não apresentou interesse nos lotes de insulina." Agulhas de aplicação de insulina, medicamento em falta no RS Reprodução/RBS TV VÍDEOS: Tudo sobre o RS
A decisão do ministro do STF foi dada um dia depois de o plenário do Supremo validar o entendimento da Segunda Turma, que declarou que o então juiz Sergio Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente no caso do triplex no Guarujá. Gilmar Mendes estende suspeição de Moro a mais dois processos contra Lula O ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes estendeu a suspeição do então juiz Sergio Moro a mais dois processos contra o ex-presidente Lula. A decisão do ministro Gilmar Mendes foi dada um dia depois de o plenário do STF validar o entendimento da Segunda Turma, que declarou que o então juiz Sergio Moro atuou com parcialidade na condenação do ex-presidente Lula no caso do triplex no Guarujá. Gilmar Mendes atendeu a um recurso dos advogados do ex-presidente. Eles alegaram que a atuação parcial de Moro não ficou limitada ao caso do triplex e defenderam que os outros processos também precisavam ser anulados: o do sítio em Atibaia e os ligados ao Instituto Lula e a um apartamento em São Bernardo do Campo. Segundo Gilmar, “nos três processos houve a persecução penal do paciente em cenário permeado pelas marcantes atuações parciais e ilegítimas do ex-juiz Sergio Fernando Moro. Em todos os casos, a defesa arguiu a suspeição em momento oportuno e a reiterou em todas as instâncias judiciais pertinentes”. Gilmar Mendes afirmou ainda que as irregularidades na atuação do então juiz, como abuso em conduções coercitivas e o levantamento do sigilo de delações, contaminaram os processos. Agora todos os três casos terão que recomeçar do zero. A Justiça Federal em Brasília poderá reaproveitar as provas e depoimentos em outra ação, a que trata das doações ao Instituto Lula. Como a decisão de Gilmar Mendes foi individual, o Ministério Público Federal ainda pode recorrer. A defesa do ex-presidente Lula afirmou que a decisão confere a amplitude necessária à suspeição de Sergio Moro, consolidada nos recentes julgamentos do STF. O ex-juiz Sergio Moro não quis se manifestar.

A imunização está prevista para ser realizada no próximo domingo (27), no Poliesportivo. Vacina contra a Covid-19 em imagem de arquivo Ivair Oliveira Está aberto em Oliveira o cadastramento para caminhoneiros se vacinarem contra a Covid-19. A imunização está prevista para ser realizada no próximo domingo (27), no Poliesportivo. A expectativa da Prefeitura é vacinar cerca de 500 profissionais. Os profissionais, ou alguém da família, podem se cadastrar até sábado (26); em Oliveira, o cadastro deve ser feito na Secretaria Municipal de Saúde, no Distrito de Morro do Ferro, deverá ser feito no Programa Saúde da Família (PSF). Caminhoneiro regido pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) Carteira Nacional de Habilitação C, D ou E, desde que exerça a atividade remunerada; Carteira de Trabalho, contrato trabalhista ou contracheque (recente); Comprovante de endereço de Oliveira ou Morro do Ferro (não será necessário estar nome do caminhoneiro). Caminhoneiro autônomo Carteira Nacional de Habilitação C, D ou E, desde que exerça a atividade remunerada; Carta frete, nota fiscal ou manifesto de viagem (recente) Comprovante de endereço de Oliveira ou Morro do Ferro (não será necessário estar nome do caminhoneiro). Motoristas do transporte de trabalhadores da panha de café Carteira Nacional de Habilitação C, D ou E, desde que exerça a atividade remunerada; Carteira de trabalho, contrato trabalhista ou contracheque (recente); Comprovante de endereço de Oliveira ou Morro do Ferro (não será necessário estar nome do caminhoneiro). Em Oliveira, o cadastro deve ser feito na Secretaria de Saúde, que fica na Rua da Misericórdia, nº 610. Já no Distrito de Morro do Ferro, a inscrição deve ser feita no Programa Saúde da Família (PSF). Segundo o secretário de Saúde, Lucas Lasmar, Oliveira tem 32% da população vacinada com a primeira dose e 13% com a segunda, o que totaliza 41% da população adulta. “A ocupação hospitalar na Unidade de Pronto Atendimento está em 100%, na enfermaria a ocupação é 75%. Temos 800 pessoas tratadas de Oliveira e região. A taxa de mortalidade está 15% abaixo da nacional, isso mostra que o SUS de Oliveira funciona muito bem”, explicou Lucas. O titular da pasta disse ainda que Oliveira tem 140 casos ativos e 57 óbitos. VÍDEOS: veja tudo sobre o Centro-Oeste de Minas:
Documento da Funai obtido pela TV Globo revela que, nos anos 80, a família de Joaquim Leite exigiu que a Funai retirasse os marcos físicos do processo demarcatório da área indígena Jaraguá. O processo de demarcação até hoje não foi concluído pela Funai. Família do novo ministro do Meio Ambiente reivindica na Justiça parte de terra indígena em SP O novo ministro do Meio Ambiente já assumiu o cargo. Joaquim Leite decidiu não fazer uma cerimônia de transmissão de cargo. Tomou posse de forma reservada na quarta-feira (23) à tarde. Ele trabalha no Ministério do Meio Ambiente desde 2019, indicado pelo ex-ministro Ricardo Salles. Foi diretor do Departamento de Florestas e, desde abril de 2020, era o secretário da Amazônia e Serviços Ambientais. Formado em administração de empresas, trabalhou por nove anos como administrador de uma fazenda de café e 25 anos como conselheiro da Sociedade Rural Brasileira, uma das mais antigas entidades ruralistas do país. O novo ministro é de uma família de fazendeiros de café, que reivindica na Justiça um pedaço da Terra Indígena Jaraguá, que fica no interior de São Paulo. Documento da Funai obtido pela TV Globo revela que, nos anos 80, a família do atual ministro exigiu que a Funai retirasse os marcos físicos do processo demarcatório da área indígena Jaraguá. O processo de demarcação dessa área até hoje não foi concluído pela Funai. Segundo fontes do Ministério do Meio Ambiente, Joaquim Leite foi indicado por Ricardo Salles para ocupar o cargo de ministro. Ambientalistas avaliam que não deve haver mudança na gestão dele. O novo ministro deve manter a política do antecessor, que foi definida pelo próprio presidente Jair Bolsonaro. Ricardo Salles, que era um dos ministros mais alinhados a Jair Bolsonaro, elogiado frequentemente pelo presidente, só caiu depois que se tornou alvo de dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal, um por suspeita de envolvimento em um esquema de facilitação de exportação de madeira ilegal e outro por ter tentado atrapalhar a investigação da Polícia Federal na maior apreensão de madeira da história. Como Salles não é mais ministro, perde o foro privilegiado no STF. O ministro do STF Alexandre de Moraes já pediu parecer da Procuradoria-Geral da República, que deve indicar que os inquéritos devem ser encaminhados para a Justiça Federal de primeira instância. De toda forma, eles seguirão sob a responsabilidade da Polícia Federal. O Ministério do Meio Ambiente declarou que o processo de disputa de posse é tratado no âmbito do espólio da família paterna do ministro e que Joaquim Leite nunca teve atuação no assunto.
Atendimento aos candidatos convocados será nesta sexta-feira (25/06). A Secretaria de Estado de Educação e Desporto convocou, nesta quinta-feira (24), 137 candidatos aprovados no Processo Seletivo Simplificado (PSS) 2019/2020, para atuação nas modalidades de ensino Indígena e Presencial com Mediação Tecnológica, em Manaus e no interior. A lista completa dos convocados, assim como as orientações para apresentação, está disponível no site da Secretaria. O procedimento de atendimento aos candidatos convocados será nesta sexta-feira (25/06), a partir das 8h, de forma presencial e obedecendo às medidas e orientações de enfrentamento à Covid-19, como evitar aglomerações e respeitar o distanciamento social. Os candidatos aprovados para atuação na capital deverão comparecer à Gerência de Admissão e Atenção ao Servidor (GAAS) - antiga GERVS -, situada na sede da Secretaria de Educação, localizada na avenida Waldomiro Lustoza, 250, bairro Japiim, obedecendo ao cronograma. Já os profissionais convocados para o interior deverão se apresentar na sede da Coordenadoria Regional de Educação (CRE) do município para o qual se inscreveram, também respeitando os protocolos de segurança. O atendimento dos candidatos seguirá a ordem de classificação, quando houver mais de um candidato para o cargo. A lotação dos aprovados ocorrerá logo após a entrega da documentação obrigatória.
A decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, se baseia num relatório da Procuradoria-Geral da República, que apontou pelo menos 30 violações cometidas pelo deputado federal. Daniel Silveira é preso de novo por desrespeitar uso da tornozeleira eletrônica O deputado Daniel Silveira, do PSL, está novamente preso, no Rio, por ordem do ministro do STF Alexandre de Moraes. A decisão se baseia num relatório da Procuradoria-Geral da República, que apontou para pelo menos 30 violações cometidas pelo deputado federal na tornozeleira eletrônica, entre as quais, quatro relacionadas ao rompimento da cinta/lacre, 22 pertinentes à falta de bateria e cinco referentes à área de inclusão, ou seja, Daniel Silveira não ficou restrito à área determinada pela Justiça. Segundo a PGR, o deputado não explicou os motivos das violações. Na decisão desta quinta-feira (24), o ministro Alexandre de Moraes explicou que fixou uma fiança de R$ 100 mil no dia 10 de junho, que deveria ter sido depositada em 48 horas. Mas até as 10h desta quinta, Silveira não tinha pagado. Por considerar que houve desrespeito à Justiça, Alexandre de Moraes decidiu restabelecer a prisão do deputado e determinou que ele fosse encaminhado imediatamente ao Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o que aconteceu na tarde desta quinta. Em fevereiro, Daniel Silveira foi preso em flagrante por ter atacado e ameaçado em um vídeo os ministros do STF, chegando a defender o AI-5, o ato mais truculento da ditadura militar. A Câmara dos Deputados manteve a decisão do STF. Em março, Alexandre de Moraes permitiu que Silveira fosse para a prisão domiciliar com tornozeleira. Por causa do vídeo com ataques ao Supremo, o deputado responde a um processo no Conselho de Ética da Câmara. Alguns partidos pediam a cassação do mandato de Silveira. O relator Fernando Rodolfo, do PL, recomendou o afastamento do parlamentar por seis meses. O parecer ainda não foi votado. A defesa de Daniel Silveira manifestou inconformismo com a decisão do ministro Moraes; disse que o equipamento está sujeito a falhas e não foi verificado; e que o devido processo legal não está sendo respeitado.
Por causa de um erro de digitação, empresário de 50 anos estava na lista de vacinação já aplicada em Salvador. Homem que havia sido impedido de receber 1ª dose da vacina contra Covid é imunizado O homem que prestou queixa à polícia depois que foi impedido de tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19, em Maceió, conseguiu tomar o imunizante nesta quinta-feira (24). A vacinação aconteceu quatro dias depois que ele procurou um ponto de vacinação e, depois de duas horas na fila, descobriu que não poderia ser imunizado. No Sistema Único de Saúde (SUS) constava que ele havia sido imunizado em Salvador, Bahia. Após a denúncia, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) entrou em contato com a prefeitura de Salvador, que alegou que a situação ocorreu por causa de um erro de digitação no sistema. Segundo a Secretaria de Saúde de Salvador, foi solicitada a correção para que o CPF do empresário fosse liberado da base do Governo Federal. A liberação aconteceu nesta quinta, quando o empresário foi comunicado. “Graças a Deus consegui tomar a vacina e agora é aguardar a segunda”, comemorou. O filho dele, Pedro Henrique de Lima se emocionou. “A gente estava há muito tempo esperando essa dose da vacina porque a gente teve uma perda na nossa família. A minha avó faleceu em janeiro e que bom que meu pai conseguiu tomar a vacina”, disse. Assista aos vídeos mais recentes do G1 AL Veja mais notícias da região no G1 AL

Rodrigo Aparecido nasceu com 1 quilo e 550 gramas, foi direto para a UTI do Hospital Esaú Matos, em Vitória da Conquista. Com apenas 10 dias de vida, ele precisa de transferência para Salvador. Família está há uma semana tentando vaga em hospital para bebê que precisa de cirurgia O recém-nascido Rodrigo Aparecido da Silva, de apenas 10 dias, nasceu com cardiopatia congênita grave, em Vitória da Conquista, cidade do sudoeste da Bahia. Ele precisa de uma cirurgia com urgência para sobreviver, mas o procedimento não é feito na região. Rodrigo Aparecido nasceu com 1 quilo e 550 gramas, foi direto para a Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Esaú Matos e o problema vem se agravando. "Ela começou a sentir contrações, umas dores fortes, a gente nem pensou que era o bebê que ia nascer. Quando a gente descobriu que ela estava prestes a ganhar o bebê, a gente veio para cá, chegando aqui ela fez o bebê, mas ele nasceu prematuro e com esse problema cardíaco", disse o pai do menino, Marcos Aparecido da Silva. Recém-nascido nasce com cardiopatia congênita grave e precisa de cirurgia com urgência para sobreviver Reprodução / TV Sudoeste Desde o dia 16 de junho, o recém-nascido está na fila da regulação e aguarda transferência para um hospital em Salvador. Entretanto, até o momento, a vaga não apareceu. "Infelizmente meu filho precisa de um tratamento que aqui não tem. A única solução para ele é a cirurgia, inclusive o médico disse que se ele não fizer, ele não tem chance de vida", contou o pai do recém-nascido. Recém-nascido nasce com cardiopatia congênita grave e precisa de cirurgia com urgência para sobreviver Reprodução / TV Sudoeste Marcos Aparecido da Silva informou que procurou a Defensoria Pública da Bahia em busca de ajuda, conseguiu uma liminar, mas o processo só deve ser concluído na segunda-feira (28). Até lá, o medo dele é de que o filho não resista a espera. "Eu fui na Defensoria Pública e consegui uma liminar ontem lá, mas segundo o pessoal da equipe, só pode dar o andamento a a partir de segunda. Eu não sei o que Deus vai preparar para meu filho até segunda". A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) informou que procura um hospital que atenda as necessidades do recém-nascido. Veja mais notícias do estado no G1 Bahia. Assista aos vídeos do G1 e TV Bahia Ouça 'Eu te explico'
Depois de um ano e meio de investigação, a Polícia Civil de SP concluiu que nove dos 31 PMs que participaram da ação foram responsáveis pelas mortes. Eles foram indiciados por homicídio culposo. Polícia Civil de São Paulo indicia nove policiais pelas mortes em Paraisópolis, em 2019 A Polícia Civil de São Paulo indiciou nove policiais militares pela morte de nove jovens num baile em Paraisópolis, em 2019. Era madrugada do dia 1º de dezembro de 2019 quando policiais militares entraram na favela da Zona Sul de São Paulo atrás de dois suspeitos de terem roubado uma moto. As ruas de Paraisópolis estavam lotadas de jovens, que participavam do baile da Dz7. Os PMs disseram que foram recebidos a pedradas e chamaram reforço. Durante a ação para dispersar o baile funk, a PM usou bombas e balas de borracha. Milhares de jovens, muitos vindos de outras regiões de São Paulo, ficaram encurralados nas vielas. Nove deles, com idades entre 14 e 23 anos, morreram pisoteados. Depois de um ano e meio de investigação, o Departamento de Homicídios concluiu que nove dos 31 PMs que participaram da ação foram responsáveis pelas mortes. Eles foram indiciados por homicídio culposo. A Polícia Civil considerou que os PMs não tiveram a intenção de matar os jovens, mas praticamente todos declararam que conheciam o local, a dimensão e a complexidade do baile. E sabiam que, diante da aproximação da polícia, era comum ter correria e arremesso de pedras e garrafas. No indiciamento, o delegado escreveu que esses policiais “não observaram o necessário cuidado que lhes era exigível, sendo previsível a ocorrência de resultado letal”. Na época, circularam vídeos mostrando os PMs agredindo vários jovens. A investigação concluiu que oito policiais cometeram abuso de autoridade, mas, por ser um crime de menor potencial ofensivo, a polícia decidiu não indiciá-los. O relatório final vai ser entregue à Justiça nos próximos dias, e o Ministério Público pode ou não concordar com a conclusão da Polícia Civil. O Inquérito Policial Militar ainda está em andamento, mas, para a Corregedoria da PM, os policiais agiram em legítima defesa. A defesa de cinco dos nove policiais disse que espera que o Ministério Público não ofereça denúncia. O advogado de outros dois afirmou que o indiciamento é político. O Jornal Nacional não conseguiu contato com os demais policiais envolvidos.

Assista à edição desta quinta, 24 de junho de 2021. Assista à edição desta quinta, 24 de junho de 2021.
Prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) informou nas redes sociais que a suspensão não tem relação com a visita do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) na cidade. A vacinação contra a Covid-19 não será realizada em Sorocaba (SP), nesta sexta-feira (25). A informação foi divulgada pelo prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) à noite nas suas redes sociais. De acordo com a postagem do prefeito, a suspensão da vacinação ocorreu por falta de doses e não tem relação com a visita do presidente Jair Bolsonaro, que está programada para ocorrer nesta sexta-feira (25) na cidade. Em nota, a prefeitura afirmou que para as próximas ações de vacinação o município aguarda o envio de novos lotes das vacinas contra a Covid-19 pelo Governo do Estado, o que deve acontecer nos próximos dias. Ainda segundo a prefeitura, com a chegada, será dada continuidade na imunização, de acordo com o calendário estadual. A previsão é que a nova remessa de doses seja entregue nesta sexta, conforme postagem do prefeito. A Secretaria Estadual da Saúde informou, em nota, que envia doses regularmente a todos os municípios do estado para andamento das fases da campanha vigente assim que o Ministério da Saúde disponibiliza remessas. Segundo a secretaria, todas as grades de vacinas são enviadas em quantidade idêntica para aplicação de primeira e segunda dose a cada etapa, com instrução técnica e adequada para aplicação das vacinas, cabendo aos municípios seguir as diretrizes. A secretaria também informou que durante toda a campanha foram enviadas para Sorocaba mais de 341,4 mil doses de vacinas contra. Destas, somente 245,3 mil foram aplicadas, restando 96 mil doses. Os dados foram informados pelo município e estão disponíveis para consulta no Vacinômetro. Até esta quinta-feira (24), Sorocaba vacinou pessoas a partir de 48 anos em seis pontos da cidade. Veja mais notícias da região em G1 Sorocaba e Jundiaí VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM